Estudo sobre o sono - 2ª parte
Sexta, 19 de Setembro de 2014

O sono tem estágios. Chamados de estágio NREM, primeiras 4 horas, e REM, após 4 horas de sono. Estudos têm demonstrado que cada fase tem sua finalidade e o sono benéfico deve distribuir as horas dormidas de maneira adequada. 

O sono NREM é desencadeado pela escuridão. À medida que o dia escurece nosso hipotálamo informa à glândula hipófise que libera um hormônio, melatonina, que avisa que é hora de repouso, iniciando um processo completo de redução das atividades. No sono NREM há um progressivo relaxamento do organismo quando surge o sono profundo. Há liberação de hormônios, entre os quais o de crescimento, que vai estimular o desenvolvimento das células nos jovens e a reparação dos danos sofridos durante o dia nos adultos. No inverno recomenda-se que os jovens deitem antes das 22 horas e no verão, no máximo, antes das 23 horas. Jovens que desrespeitam este conselho crescerão menos e terão suas células e sua imunidade enfraquecida. Estudos realizados mostraram que a desobediência a essa regra bem como o trabalho noturno favorecia cansaço, queda de produtividade, redução da memória e da imunidade, bem como tendência à obesidade. 

O sono REM, nome que vem de Rapid eyes movement, ou seja, sono com movimento rápido dos olhos é o que se inicia após 4 horas de sono. Nesta parte do sono o cérebro inicia uma análise dos fatos ocorridos durante o dia, guarda os úteis e joga fora os dispensáveis. Como é um reviver do dia ou dos dias anteriores, o indivíduo se agita, sonha muito, podendo falar quando muito ansioso. Este sono se deve à suspensão da produção de melatonina e à produção do cortisol, hormônio do despertar, que deixa a pessoa apta às atividades do dia. 

O moderno uso de luzes fortes, televisões no quarto, computadores está comprometendo a biologia cerebral fazendo com que a melatonina nem sempre seja liberada em doses adequadas o que favorece a insônia (continua na próxima semana).

Comentários