Estudo Sobre O Sono (3ª parte)
Sexta, 26 de Setembro de 2014

Vimos na semana passada que o sono é importante para a nossa vida e para a nossa saúde. Na sociedade atual com esta vida agitada e cheia de exigências há um grande número de pessoas que sofrem distúrbios do sono. Estes distúrbios aumentam com a idade. 30% das pessoas em nosso meio sofrem de alteração eventual ou permanente do sono sendo que pessoas com mais de 65 anos este número aumenta para 60%.

As principais alterações do sono são: INSÔNIA, APNEIA DO SONO, SÍNDROME DAS PERNAS INQUIETAS, RONCOS, PESADELOS, SONAMBULISMO, NARCOLEPSIA e outros. 

Como saber que seu sono é reparador? Seu sono é deficiente quando:

Ao soar do despertador prefere ficar mais alguns minutos dormindo.

Aproveita o final de semana para dormir muito.

Tem de fazer esforço para ficar acordado em palestras ou mesmo na atividade normal.

Tem dificuldade de se concentrar ou de lembrar-se dos fatos.

Demora mais de 30 minutos para conciliar o sono à noite.

Acorda-se repetidas vezes à noite.

Acorda-se tonto e indisposto.

Seu cônjuge reclama de estar roncando ou se revirando muito à noite.

Quando os sinais acima surgem demonstram que está passando por uma alteração do sono. As pessoas podem, em situação de estresse, perdas, acúmulos de trabalho, perder pontualmente o sono o que é um fato considerado normal e aceitável. Normalmente esta falta de sono é transitória e normaliza-se após algumas semanas quando o motivo do estresse abranda.

Duas situações em que a insônia é frequente e repetida acontecem em mulheres em fase reprodutiva ativa e em sexagenários.

As mulheres, devido a mudanças hormonais, principalmente a da progesterona, podem nos dias que antecedem a menstruação perder rotineiramente o sono. É a tensão pré menstrual. Durante a gravidez no primeiro trimestre devido à alteração da progesterona e no último trimestre devido ao desconforto e à compressão abdominal determinada pelo feto em seu ventre, as mulheres podem perder o sono. Frequentemente desenvolvem a síndrome das pernas inquietas ou ainda apresentam roncos e pesadelos. Após o parto frequentemente perdem o sono devido à preocupação com o recém-nascido que acorda à noite duas ou três vezes para mamar. Mulheres na menopausa são muitas vezes insones devido às alterações hormonais que determinam mudança rápida da temperatura corporal.

(continua na próxima semana)

Comentários