David e Golias
Sexta, 28 de Abril de 2017

Há inúmeros casos na história do futebol de pequenos “Davis” que derrotaram grandes “Golias”, mas essa não é a regra. Os exemplos mais marcantes dessas zebras aconteceram em Copas do Mundo: todo mundo que viveu os anos 1990 lembra da vitória de Camarões contra a campeã Argentina na abertura da Copa da Itália. Em 1998, os surpreendentes nigerianos bateram a forte seleção espanhola na França. Em 2002, os campeões mundiais franceses perderam para Senegal enquanto a Coréia do Sul eliminou a Itália. Em 2010 os italianos empataram com a fraquíssima seleção da Nova Zelândia e perderam para a Eslováquia. E em 2014 a Costa Rica bateu a Itália e o Uruguai. Isso sem contar zebras mais antigas, como a vitória da Coréia do Norte sobre a Itália em 1966. Mas, como disse, essas são exceções: acontece uma vez a cada 20 ou 30 jogos entre gigantes e pequenos. Por isso, nesse e no próximo final de semana, não acredito que o Novo Hamburgo se torne uma zebra histórica do Gauchão e vença o Internacional na soma dos dois confrontos finais.

Nos últimos anos, frequentemente o Inter chegou em decisões contra times do interior. E, com exceção de 1998, quando perdeu a final para o Juventude (que ainda estava na Série A do Brasileirão), o Inter levou o título em todas. Para ser mais exato, de 1998 para cá, o colorado chegou em 14 finais (ficou fora só de duas), e nada mais nada menos do que oito foram contra times do interior. E todos foram batidos, a maioria com facilidade: Caxias, Juventude, Lajeadense, São Luiz, 15 de Novembro e Canoas. Provavelmente o Novo Hamburgo, será mais um dessa lista, apesar de acreditar que o time alvi-azul irá impor mais dificuldades do que os outros adversários colorados ao longo desses anos.
Portanto, gremistas, preparem-se para a festa do hepta colorado. E, se continuar assim, o octa, o nona, decacampeonato e muito mais está por vir nos próximos anos.

Comentários