Você tem timing para decidir?
Sexta, 07 de Agosto de 2015

Compartilho uma matéria de uma revista de Economia, que relata um fator essencial na carreira de todos, o timing para decisão.
Por mais duras que sejam as decisões que um líder tem que tomar, o tempo é um fator crítico. Se ele demorar, poderá destruir não apenas sua carreira e reputação, mas também a empresa. Um gestor que é lento, gera dúvidas, incerteza e insegurança. O fato é que liderar exige timing e, em períodos de crise, a decisão só é correta se for tomada dentro de um intervalo de tempo específico. Após esse prazo, pode ser irrelevante.
Portanto, saber o tempo certo de decidir é tão importante quanto a decisão em si. E é determinante para a solução ou o agravamento do problema. Por exemplo, imagine um gerente que, em meio a uma grave crise, postergue a dura e difícil tarefa de demitir parte de seus funcionários sob o risco de vir a falir a empresa. Isso faria com que os trabalhadores fossem demitidos sem seus direitos, que é mais terrível ainda. Por isso, um líder deve ter maturidade e preparar-se continuamente para enfrentar períodos difíceis. Em geral, gerentes que atravessam muitos anos em uma empresa em expansão e que não se preocupam com o autodesenvolvimento acabam por negligenciar as competências necessárias para lidar com crises, com analise de cenários e comunicação assertiva.
A análise de cenários permite ao gestor refletir sobre qual a dimensão da crise em que o país, o mercado e a empresa se encontram. Quais as alternativas ele possui, os pontos favoráveis e desfavoráveis de cada uma, o planejamento e a ação. Na verdade, poucos líderes pensam que devem ter um plano de saída. Por vezes, admitir que é hora de fechar uma linha de produção, um departamento ou mesmo uma empresa não é o pior que pode acontecer. O pior é o líder insistir até o fim. Um enxadrista não joga uma partida que está irremediavelmente perdida até o último lance. Ele para o jogo assim que percebe que não tem saída, cumprimenta o adversário e concentra-se na próxima partida, agora com mais experiência.
A comunicação assertiva é a ferramenta do líder para ser claro e direto com as pessoas. Os momentos de contração econômica são difíceis, mas o gestor deve manter a comunicação fluindo sem rodeios, ir direto ao ponto, cobrar de cada um suas responsabilidades e auxiliar a todos a amadurecer e a enfrentar a crise como um aprendizado empresarial e para suas carreiras.
Afinal, crise e momentos difíceis fazem parte da vida, mas não são a vida. Após a tempestade, há mais esperando por nós que um céu ensolarado. Mas para encontrá-lo, devemos enfrentá-las com energia, esperança e sabedoria para construir algo aprimorado a cada novo futuro.
A pior crise é sempre a crise da qual estamos vivendo. Este é o momento ideal para arrumar a casa e chegar o mais próximo possível dos líderes, porque o momento é o mesmo para ambos. Para quando for o momento melhor, os líderes não distanciarem-se ainda mais e tornar muito mais difícil alcançá-lo.
Na crise. Crie.

Comentários