“Quem não comprar Petrobras agora vai se arrepender muito"
Sexta, 27 de Dezembro de 2013

O economista Luis Carlos Ewald, conhecido como Sr. Dinheiro, afirmou em entrevista exclusiva ao InfoMoney que quem não comprar ações da Petrobras, vai se arrepender muito em 2014, porque vai deixar de ganhar muito dinheiro. Segundo ele, o governo vai apostar todas as suas fichas na companhia no ano que vem, por conta das eleições, e deixar a inflação em segundo plano. “A Petrobras é mais importante que a inflação neste momento. Eles vão colocar muito dinheiro na empresa e vai ter um novo reajuste nos preços dos combustíveis no comecinho do ano, para aliviar a situação da estatal”, afirmou.

Com toda essa euforia por parte do Sr. Dinheiro, quero deixar algumas informações referente à Estatal, ela já foi um dos maiores orgulhos dos brasileiros, é uma das maiores empresas de capital aberto do mundo, é a empresa listada em bolsa que tem mais investidores pessoas físicas como sócios, é uma das Blue Ships na bolsa (maior, mais conhecida e mais negociada), ou seja, é uma queridinha. Mas o que muitos destes investidores não sabem, ou não querem enxergar, é que baseado no último relatório de trimestre os números são tão ruins que a empresa de análise da administradora de investimentos americana Macroaxis, especializada em fazer esse tipo de cálculo afirma: a Petrobras tem probabilidade de falência de 32,4%. “Este valor é muito maior do que o do setor”, afirma o relatório. A ExxonMobil, por exemplo, gigante do ramo de óleo e gás, tem probabilidade de falência de 0,86%. A Chevron tem 8,96% de chances e a Petrochina, outra grande concorrente, 12,27% de acordo com a Macroaxis, que calcula riscos de investimentos de mais de 150.000 empresas do mercado de ações. O índice reflete o tamanho da crise que a Petrobras vem enfrentando nos últimos anos, em que a dívida da empresa ultrapassa U$ 112 bilhões de dólares, ela é a estatal mais endividada do mundo fora do setor financeiro. O pré-sal ainda não trouxe resultado. Inclusive, a Petrobras é a única petroleira do mundo que sofre quando o preço do petróleo sobe. Isso se dá porque a Petrobras vende petróleo bruto e compra refinado, um absurdo! A prova disso é que há três semanas, depois de anunciar o reajuste no preço dos combustíveis, suas ações despencaram 10% em um só dia e a estatal brasileira perdeu 25 bilhões de reais em valor de mercado em poucas horas, segundo dados do Infomoney. A queda aconteceu porque analistas avaliaram que o reajuste foi insuficiente para reequilibrar as contas da empresa, que continua vendendo a preços subsidiados por uma política do governo de segurar a inflação. 

Com a questão de sustentabilidade, de novas energias alternativas talvez o petróleo não tenha daqui 30 anos a mesma importância que tem hoje. O governo vem se arrastando usando a petrolífera como válvula para conter inflação, pois a gasolina deveria ter aumentado há tempos. Com o fraco crescimento da economia em 2013 tudo indica que 2014 também teremos um fraco desempenho. Não tem porque esperar que a Petrobras aumente de valor.

Comentários