Taxa Selic
Sexta, 07 de Fevereiro de 2014

Nos últimos dias passamos por alteração na taxa Selic, gostaria de fazer algumas ponderações sobre o assunto.

Com o objetivo de conter a inflação que fechou 2013 em 5,91%, no dia 16 de janeiro de 2014 após reunião do Comitê de Políticas Monetárias (Copom) a taxa básica de juros Selic passou de 10% para 10,5% ao ano, impactando diretamente no bolso da população, tanto para os financiamentos que ficaram mais caros, quanto para aplicações e investimentos. Com este aumento, o que muda para os investidores? A poupança que mês após mês vem batendo recordes de capitação é a melhor opção?

A poupança já vem a um bom tempo não sendo a melhor opção de investimento, mas vamos para os fatos, de acordo com o novo cálculo da poupança que entrou em vigor em 4 de maio de 2012 todas as novas contas possuem um novo regime de rendimentos, de acordo com a nova regra se a taxa Selic for igual ou menor que 8,50% a.a., a poupança pagará 70% deste valor, ou seja, se ficar nos 8,5% terá rendimento 5,95% a.a. mais TR (taxa referencial). Agora se a taxa Selic estiver acima de 8,50%, a taxa de retorno será de 0,5% a.m., consequentes 6% a.a. mais TR. Então tendo essas informações em mãos, podemos deduzir que, se a taxa básica de juros estiver 8,75% a.a ou 10,5% a.a. o rendimento que teremos com a poupança não muda em nada, ficando em 6% a.a. mais TR.

Certo, se já entendemos este novo cálculo e estamos falando do investimento mais tradicional do mercado, que passa de geração para geração, com propagandas em toda a mídia incentivando as pessoas a investirem na poupança, como se esta fosse a única e melhor opção para quem procura guardar suas economias, que não é tão interessante assim do ponto de vista do investidor. Então o que devemos buscar para proteger capital e ter uma melhor taxa de retorno aliada a segurança?

Encontramos nos bancos e em corretoras de investimentos especializadas em gestão financeira, produtos conservadores, para todas as pessoas que buscam através da melhor alocação, algo que trabalhem linha com suas perspectivas e com rentabilidade superior, que em muitos casos passam de 25% do investimento tradicional, agora, pegue esses 25% aplicado a uma taxa de juros composta, juros sobre juros, em um prazo maior, você vai ver que a diferença é grande e que realmente vale muito a pena dedicarmos um pouco de nosso tempo para buscar conhecimento e informações que nos permitirão usufruir desses retornos. Para citar alguns, dentre os vários produtos, podemos destacar CDB´s,(Certificado de Depósito Bancário),  LCI´s (Letra de Crédito Imobiliário), LCA´s (Letra de Crédito do Agronegócio) LC´s (Letra de Câmbio), sendo que alguns desses produtos são isentos de Imposto de Renda para Pessoa Física (IRPF), e assim como a poupança são garantidos até R$ 250 mil pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Seguindo nesta mesma linha ainda temos a disposição os títulos públicos que são considerados produtos de baixo risco pelo fato de quem emitir esses títulos e estar assumindo essa dívida com você é o próprio governo.

Espero que esta breve explanação dos fatos, tenham feito todos pensar um pouco sobre a forma que se está tratando seu capital, se ele também não poderia começar a trabalhar por você, pois uma coisa é certa, boas escolhas feitas no presente repercutirão em tranquilidade, conforto e segurança para você e sua família no futuro.

Comentários