Não fazemos qualquer negócio
Sexta, 14 de Março de 2014

Você pode em algum momento querer fazer um negócio que aparentemente pareça não ser bom, mas que pode vir a lhe auxiliar em algum bom negócio no futuro. É incrível como algumas frases feitas perduram sem que ninguém, ou quase ninguém, se dê conta do quanto estas frases são erradas ou ultrapassadas. As pessoas se sentem confortáveis ao citá-las, pois, se em algum momento alguém as cunhou e são tão repetidas, não precisam ser mais analisadas. Cito uma frase feita e pronto. Já pareço culto ou sábio.

O que quero colocar é que é preciso refletir. Refletir sempre sobre o que estamos fazendo e se isto é bom ou não para o momento presente. Repetimos ditados e frases que em algum momento podem ter sido verdadeiras ou úteis. Mas e daí? Significa que tenham sentido agora? Não sei. Pode ser que sim. O fato é que precisamos aprender a escutar e extrair de cada conversa, texto ou frase colocada, o que é bom e o que não é.

As pessoas são tão intensamente abordadas por mensagens de todos os tipos que nem param mais para analisar se aquilo é bom ou ruim. Certo ou errado. Verdadeiro ou falso. Passam adiante e pronto. O dito se torna verdade.

Voltando a reflexão, analisem mais o que lerem ou ouvirem. Pode ser de uma fonte confiável até, mas todos somos falíveis e uma fonte confiável também erra, por mais culto que uma pessoa seja. Ela pode errar, ou melhor vai errar em algum momento. Isto é fato. Entretanto, não podemos simplesmente acreditar em tudo o que se fala. Vai querer me fazer acreditar que se um “vendedor” ao ser abordado sobre um desconto ou uma outra forma de pagamento, responder: “fazemos qualquer negócio”, ele realmente quis dizer isto? 

Para que se mude uma cultura, é preciso que se mude os padrões, hábitos e posturas das pessoas. Precisamos entender que tudo muda e se queremos não apenas mudar, mas evoluir, precisamos pensar mais e nos tornarmos mais responsáveis e cientes do que falamos.

Num país como o nosso, que segue em busca de uma identidade, onde a ética e o respeito precisam ser mais bem divulgados, não podemos nos dar ao luxo de repetir coisas sem sentido. 

Pense: você faria qualquer negócio?

Base do texto reflexivo, Airton Carlini.

Comentários