Rotina de pai e filho
Sexta, 08 de Agosto de 2014

Neste próximo domingo vamos comemorar o Dia dos Pais, uma data que é sempre lembrada por todos os meios de comunicação, lojas e que tem o seu papel de fazer as pessoas comprarem e faz o material se tornar além do que é o real sentido, assim como acontece em outras datas. O que não podemos esquecer é o que realmente o nosso pai é ou foi para nós.

Na coluna desta semana não venho fazer uma crítica aos fatos que não condizem com a data, mas deixo claro que um presente, uma lembrança ao seu pai o deixaria muito feliz. O que venho a colocar neste texto, são os momentos que vivo ao lado do meu pai e como vivemos. Com certeza muitos pais e filhos se colocarão nesta mesma situação.

Toda manhã, ou melhor, a maioria delas, não vejo o meu pai, pois sempre levanta cedo para trabalhar, ele é padeiro e ama o que faz e, com certeza, todos nós também!! Mas, apesar de não vê-lo sempre estou desejando um ótimo dia para toda a nossa família.

Durante o meio-dia, eu e meu pai temos alguns minutos para almoçar e também comentar o dia anterior e fatos que acontecem. Confesso aqui que tenho um amigo, um parceiro, que me ouve, que me atende, que me auxilia.

Durante a tarde não conseguimos conversar, mas no final dela, correndo como sempre, conseguimos colocar mais um pouco do papo em dia e talvez aprender um pouco sobre como curtir uma foto em redes sociais, pois hoje elas fazem parte dos seus momentos de lazer.

Quando chego da faculdade, a maioria das vezes ele já está dormindo e um boa noite é dado pelo meu pensamento, talvez ele não saiba, mas aposto que isso ele faz por mim.

Neste parágrafo não poderia deixar de falar das divergências de opiniões que muitas vezes causam lágrimas e angústia, mas que toda a família possui e, com certeza, só vem fazer o nosso relacionamento crescer.

Durante os finais de semana, meu pai me acompanha em muitos dos compromissos que tenho com a música, coloca suas opiniões e se dispõe a me ajudar, com certeza o maior tempo que temos são durante os sábados e domingos para passar momentos agradáveis juntos.

Só que toda essa descrição de nossa rotina, me faz pensar em algumas coisas: Você já percebeu quanto tempo passamos longe dos nossos pais? E quanto isso pode nos custar no futuro? Precisamos de estudo, precisamos de trabalho, dos amigos, da família, mas como conciliar a tudo isso? Será que estamos passando momentos suficientes com os nossos pais?

Bom, eu como filho, acredito que posso não passar muitas horas do meu dia perto dele, talvez somando todas as horas da semana não sei se conseguiria juntar um dia inteiro que possa ficar com ele. Mas o que realmente eu posso contar são que as poucas horas que estou com meu pai, são as horas de aprendizagem, de amizade e principalmente aquelas que vão ficar marcadas na minha memória pro resto da minha vida, porque esse sim é o meu exemplo, o meu suporte, o meu pai!

Essa é uma homenagem ao meu pai Valdemir Horas e claro a todos os pais, pois vocês não são apenas homens com compromissos em relação aos filhos, mas são os nossos exemplos, os nossos pilares.

 

Um feliz Dia dos Pais a todos!

Comentários