O princípio da Liberdade: parte 2
Sexta, 14 de Novembro de 2014

Bom dia mui amados leitores.

Aprendiz: Mestre; anteriormente, vimos que a liberdade está relacionada à capacidade do ser humano em suprir suas próprias necessidades naturais quando adulto. Vimos também que existe uma tendência do ser humano se prender em fases de desenvolvimento primitivos que está associado às disfunções psíquicas e orgânicas, citados como exemplos a histeria, as compulsões, o uso de drogas (álcool, tabaco, psicotrópicas) que influem diretamente no comportamental das pessoas e que todos sabem (mais ou menos) que geram transtornos pessoais (prejudica a saúde...), transtornos familiares (agressividades...), sociais (atos ilícitos para se obter vantagens, crimes...) e econômicos (pessoais, familiares e onerações do Estado). Existem outros obstáculos que impedem o ser humano de ser livre? 

Mestre: Sim. Dentre estes, já destaquei as fixações do ego que promovem o aprisionamento do ser humano em si mesmo, impedindo-o de ver e compreender as pessoas e o universo que o cerca e, consequentemente, tornando-o infeliz.

Aprendiz: Podes explicar alguns desses comportamentos humanos que explicitam fixações do ego?

Mestre: Por exemplos: pessoas que se julgam detentoras da verdade, que acham que estão sempre certas e que os erros nunca são cometidos por ela e sim pelos outros, os outros são os culpados. Pessoas que possuem linguajar bruto, agressivo, que buscam vencer discussões através da voz mais alta, que possuem temperamento inflexível, que acreditam fervorosamente numa ideia, numa crendice e não permitem o diálogo igualitário para buscar outros caminhos, outras verdades, pois a sua ideia de verdade sempre é a única que existe e que deve preponderar. Pessoas que adoram promulgar punições, gerar medos, preconceitos e exclusões, são pessoas vingativas, até tramam pelas costas sorrateiramente. Pessoas que não sabem dizer “bom dia” às outras pessoas com um sorriso no rosto, pois se julgam superiores as demais, a não ser quando possuem interesses. Pessoas que dizem compreender o outro (quem compreende não precisa dizer), mas não admitem o erro das pessoas e se afastam delas, as isolam e se isolam (pois o seu ego é a zona mais confortável que existe no mundo).  

Aprendiz: E qual seria o caminho para ajudar essas pessoas fixadas em seu próprio ego?

Mestre: Existem caminhos dos mais diversos, porém os mais indicados estão associados aos profissionais da área da psicologia (os psicólogos). Sendo que o primeiro passo à cura consiste na busca da mesma: procurar um excelente psicólogo!  

Aprendiz: E de modo geral, o que impede o ser humano de ser livre na vida para ser feliz?

Mestre: A vida é uma jornada e nessa caminhada as pessoas carregam vários conceitos, preconceitos, vaidades, invejas, dissabores, rancores, sofrimentos, ódios, ignorância que são como pesos (pedras) que as pessoas carregam em suas costas dentro de uma mochila. Portanto, para que a vida seja mais leve, pare um pouco, abra a mochila, reflita e retire as pedras, esvaziando a mochila e volte a caminhar... Sua vida será melhor! Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações!

Comentários