Presente ou Passado? Aprender a Lição!
Sexta, 28 de Agosto de 2015

Bom dia mui amados leitores. Vive-se num período muito conturbado: política, social e economicamente. Quem é capaz de regenerar o Estado Democrático de Direito da nação no momento em que o povo assiste e paga o alto preço pelos estragos causados pelas forças dominantes que se ocultavam no seio das Estatais há décadas?
Aprendiz: Mestre, muito tem sido dito acerca da corrupção que está sendo exposta neste governo. Alguns dizem que há muito tempo atrás já existiam os esquemas fraudulentos que vilipendiam o povo e avassalam a economia ao impedir o desenvolvimento social, gerando desemprego, mais violência e menor qualidade de vida.
Mestre: A corrupção é um estado desenvolvido no ser humano pela má estruturação da personalidade durante os anos iniciais em que a família é a principal referência e a escola de qualidade serve para lapidar o caráter do indivíduo, através da socialização, dos conhecimentos basilares nas ciências, nas artes, nos esportes, no civismo. A corrupção existe há muito mais tempo do que se poderia mensurar. Não é deste ou daquele governo, existe como um câncer que se instala num órgão, absorve os nutrientes da célula, cresce, se avoluma e prolifera, disseminando-se para outros órgãos, ocasionando vários danos, até a falência.
Aprendiz: Poderias dar alguns exemplos de casos de corrupção ao longo da história?
Mestre: A corrupção já existia desde o período colonial, em que o cobrador de impostos da corte elevava os valores oficiais que seriam apresentados para os cidadãos e comerciantes. Esse procedimento indigno era para assustar, pressionar o cidadão que, desesperado por não ter como pagar somas vultuosas, aceitava pagar a propina para o cobrador desde que este lhe desse garantias de reduzir o valor oficial a ser pago. No período pós-república (1889), iniciou o coronelismo que instituiu vergonhosamente o voto de cabresto, em que o eleitor votava no candidato indicado em troca de uns trocados, roupas, comidas. Também existia a comissão de verificação de poderes que investigava quem eram os eleitos e permitia a posse nos cargos eletivos apenas quem fazia parte do sistema corrupto. Aqueles que insistiam em requerer direitos para a investidura dos cargos eletivos eram mortos. Mais recentemente, na década de 80 as empresas que participaram do processo de licitação para assumir a obra da construção da ferrovia Norte-Sul (cerca de 2,5 bilhões de dólares) combinavam os preços entre si e definiam quem ganharia antes mesmo da licitação começar, tudo em troca de propinas. Já no período pós-ditadura, existiu o caso de P. C. Farias, o tesoureiro do então presidente Fernando Collor, que exigia propina de empresários em troca de contratos para a execução de obras e serviços, as propinas eram de 30% dos valores das obras.
Aprendiz: Todos os casos expostos do passado se parecem muito com os atuais, mas ainda não foi aprendida a lição. O que uma pessoa realmente digna como representante da nação diria ao descobrir esquemas de corrupção?
Mestre: Mais uma vez, as forças e os interesses ocultos contra o povo se coordenaram e desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e, principalmente, os humildes. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. (Pres. Getúlio Vargas, há 61 anos). Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações!

Comentários