Plutocracia, o risco da governabilidade sem ética e sem coração!
Sexta, 06 de Novembro de 2015

Bom dia mui amados leitores. Existe crise? Política? Econômica? Social? Ambas? Quem governa de fato o sistema sociopolítico e econômico da Nova Canaã?

Aprendiz: Ouve-se que num Estado Democrático de Direito os três poderes da nação devem desenvolver seus trabalhos de modo justo, livre e ético para manter e assegurar a estabilidade governamental. Mas diante de tanta crise, que a maioria mensura comparativamente ao aumento de déficits (balança comercial, previdência social, contas do governo...) ou aumento da taxa de juros – visto por alguns como remédio - o que define a governabilidade de uma nação?

Mestre: Eis a questão? Governabilidade numa nação democrática por direito. De fato, muita fumaça pode ser lançada nos olhos da população e aqueles que não possuem máscaras anti-fumaça não são capazes de enxergar o que está em frente e os rodeando diariamente. A governabilidade de muitos países tem sido utilizada como sinônimo de corporativismo financeiro em que a crise é um instrumento para gerar aumento de renda de grandes grupos e instituições, bem como o momento ideal para a especulação no mercado de capitais. Nesse sentido, a governabilidade administrativa de uma nação poderá seguir à risca as diretrizes das políticas econômicas elaboradas para atender os interesses dos grandes capitais, dos grandes investidores, do mercado global e, de modo muito singelo, os interesses do povo.

Aprendiz: Existe algum nome para denotar esse tipo de governabilidade?

Mestre: Sim, “Plutocracia”.

Aprendiz: Poderá surgir algum tipo de perigo numa nação democrática regida nos princípios da plutocracia? 

Mestre: Vamos cogitar, hipoteticamente! Digamos que uma corporação de facções criminosas financie um grupo de pessoas que se candidatam aos cargos eletivos nessa nação democrática (vereança, prefeitura, governo do estado, deputados e presidência). Supondo que essas pessoas são eleitas, a quem elas irão devotar o seu trabalho? À nação para a felicidade geral de todos? Ou àquela corporação criminosa? Por acaso, quem recebeu verba ilícita de campanha não estaria assinando uma promissória em favor daquela corporação? 

Aprendiz: Penso que um candidato eleito por meios ilícitos estaria preso, refém das metas e diretrizes dessa corporação criminosa. Imagino o que poderia acontecer se um desses representantes do legislativo, camuflado pelo sorriso, pela bela oratória e crente de impunidade pelo elevado poder de seu cargo, movimentasse cerca de meio bilhão do erário público ilegalmente para alimentar as facções criminosas, o seu grupo e a si mesmo. Será que a crise social e econômica, a violência na Nova Canaã poderia aumentar devido aos atos legitimados da criminalidade (camuflada) por tais representantes no congresso? E como a nação, o povo conseguiria ver, identificar a verdadeira face de representantes de corporações criminosas?

Mestre: Pelos trabalhos legais, sem impedimentos e éticos dos três poderes que constituem o Estado Democrático de Direito desta nação, bem como pelas ações do Ministério Público, da Polícia Federal, das manifestações sociais organizadas, pacíficas e o apoio das mídias de comunicação. Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações!

Comentários