Um Novo Tempo para Verdades ou Ilusões
Sexta, 13 de Novembro de 2015

Bom dia mui amados leitores. Se toda ação gera uma reação, como será o futuro? O seu, da sua família, o da sociedade, da nação, do planeta?!

Aprendiz: Mestre, é possível prever o futuro?

Mestre: Sua pergunta adentra na relatividade do conhecimento, da capacidade humana de entender o todo e da capacidade de compreender que cada ação do ser humano resulta em consequências. Assim, pode-se prever um futuro relativo com base nas mais distintas atividades humanas. 

Aprendiz: Como assim? Quer dizer que por analisar o que cada pessoa faz diariamente é possível ter uma ideia do que poderá acontecer no futuro? Ou o que um grupo de pessoas fazem ou uma instituição, ou uma empresa, uma sociedade, ou um governo?

Mestre: Possivelmente. 

Aprendiz: Muita gente reclama que a vida, a governança e a representação política estão ruins. Por que não previram essa situação para si e para o país? 

Mestre: Por que muito dados, informações, ou o que se faz não são estudados profundamente, não são revelados de forma suficiente ou convincentemente e no devido tempo. Tempo para informar, tempo para estudar, tempo para refletir, tempo para meditar, gerar mudanças de atitudes, de comportamentos, de cultura e decisões.

Aprendiz: Todas essas questões envolvem o fator tempo e encobrem as verdades. Por que as verdades não são reveladas a tempo das tomadas de decisões? A quem interessa ocultar a realidade encoberta em véus de interesses particulares ou grupais? Onde está o compromisso com a verdade?

Mestre: A verdade é como um quadro de feixe de luz. Olhe pra ele! Ou seria mais agradável olhar para um quadro de paisagens bonitas, como um campo florido numa tarde ensolarada de primavera em que um casal se deita na relva, após se banharem no rio, sorrindo e expondo seus suntuosos corpos nus, quentes e molhados. 

Aprendiz: Nossa! Vislumbrei um momento de felicidade ao imaginar esse quadro. Até tive a vontade de estar dentro dele, como se eu estivesse ao lado daquela linda mulher.

Mestre: Lembre-se que alguém pintou esse quadro. Na verdade, você não estava lá e não foi dito que a mulher era linda. Consegues perceber o potencial que existe na ilusão? E a quem interessa despertar esse desejo na mente das pessoas? Quem ganha com a venda dessa imaginação, ideia coletiva? E com a venda do quadro? E quantos outros tipos de quadros são apresentados e vendidos à população diariamente? E quais instrumentos são usados diariamente, a cada hora, minuto, segundo para manter a mente ligada nesses quadros de ilusão?

Aprendiz: É verdade! Agora consigo entender porque existem pessoas, famílias, grupos, políticos, instituições, sociedades que mantêm as verdades seladas.

Mestre: Mas existe uma verdade que pode ser desvendada sem a necessidade de depurar todo o sistema social, político, cultural e econômico construído há milênios a fim de gerarmos um novo tempo, um futuro melhor para cada pessoa.

Aprendiz: E que verdade é essa Mestre?!

Mestre: A verdade de si mesmo. Conheça-te primeiro, pois a tua verdade te libertará.

Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações!

Comentários