A Falácia, a impunidade, a desesperança conduz a erros...
Sexta, 04 de Março de 2016

Bom dia mui amados leitores. Quando a convulsão política, econômica e social se instala no país gerando intranquilidade, desesperança e até distúrbios na saúde, é o sinal de que é preciso parar, refletir e orar a fim de se obter a devida clareza, a compreensão das situações que afetam toda a sociedade e nos permita o retorno ao caminho da harmonia pessoal e social.

Aprendiz: Mestre, algumas pessoas estão tão estranhas diante dos escândalos de corrupção e as incertezas políticas e econômicas da atualidade. Tais pessoas até mesmo entram em contradição do que é certo e errado. Ora repudiam os atos de políticos envolvidos na operação lava-jato, falam mal desse e daquele, mas depois até aceitam os atos ímprobos, dizendo que nesse país nada é sério e que se tivessem a oportunidade de obter milhões facilmente, também fariam algo parecido, já que o sistema jurídico-penal favorece a impunidade. Como devemos entender essas pessoas?

Mestre: Conturbadas, com descrédito em nossos governantes e com poucas esperanças de dias melhores. Podem ter recebido uma boa educação de seus pais, mas diante de tanto sacrifício que fazem na vida ao longo dos anos sem obter o reconhecimento pessoal, profissional, o sucesso, a riqueza, a felicidade tão sonhada, acabam por colocar em dúvida até mesmo os seus valores morais. Assistem aos noticiários, que revelam desvios bilionários e vereditos de juízes que penalizam os criminosos com prisões em regimes semiabertos e por pouco tempo de reclusão, o que ridiculariza e insulta as pessoas honestas deste país. Em algumas nações mais desenvolvidas, os crimes de corrupção geram penas de prisão perpétua e até capitais, além de desonrar toda a família perante a sociedade.

Aprendiz: Essas pessoas conturbadas alegam que as verbas desviadas das empresas brasileiras é dinheiro público e sendo público é delas também. Esse pensamento se torna ainda mais forte no meio de gestores públicos e representantes do povo que administram as verbas públicas, algumas vezes em benefício próprio. Isto não está certo?!

Mestre: De fato, esse tipo de pensamento de que sendo público também é seu, dando-lhe o direito de se apropriar de verbas públicas para si mesmo é equivocado, é um erro, é uma falácia! A legislação brasileira tem leis que tratam dessa apropriação indevida de verbas e dinheiro público pelos gestores como sendo crimes, assim também pelo uso de bens públicos e favorecimentos a terceiros: a) Peculato (Art. 312 do Código Penal Brasileiro) com penas que variam de três meses até 12 anos de prisão se for caracterizado como culposo ou doloso; b) Contra a Administração Pública (Art. 315 CPB); c) Colarinho Branco (Lei 7492/86); d) Corrupção Ativa (Art. 333CPB); e) Corrupção Passiva (Art. 317 CPB). Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações!

Comentários