CRISE?!
Sexta, 25 de Novembro de 2016

Bom dia, mui amados leitores. Diariamente, ouve-se que um Estado está em crise, que um governo está em crise, que um país está em crise. Quem criou essa ideia?!

Aprendiz: Muito se ouve a respeito das crises financeira, econômica, social, mas pouco se fala acerca da origem das crises. De onde elas surgem?

Mestre: Toda governança parte de um pressuposto que existem pessoas para ser governadas; logo, todo plano político tem um objetivo premente: manter a governança.

Aprendiz: Como assim?! Se todo governo é constituído pela vontade do povo, através da eleição de seus representantes, então o governo seria uma extensão do povo e, portanto, deveria administrar, governar para suprir as necessidades do povo.

Mestre: O povo legitima nas urnas os futuros integrantes do sistema político. Os eleitos e empossados poderão, inclusive, fazer leis contrárias às necessidades e direitos do povo, como, por exemplo: parcelamento e redução de salários, redução nos investimentos na saúde, na educação, na segurança, desestatização e des-responsabilização do Estado, privatizações e, até mesmo, obtenções de vantagens.

Aprendiz: Mas, se todo governo já tem a intenção de se perpetuar no poder, quem deveria representar o povo para fiscalizar as ações do governo?

Mestre: Existem instituições sem caráter político-partidário, como Tribunal de Contas da União, Corregedoria Geral da União, o Ministério Público e o STF, incluindo-se a Polícia Federal. São instituições idôneas, independentes e que não podem ser influenciadas pelos interesses partidários, mas que sofrem com a pressão política diariamente. Veja o quanto essas instituições têm contribuído para elucidar esquemas fraudulentos, corruptos, que desviaram bilhões dos cofres públicos, proporcionando uma onda de letargia no desenvolvimento dos municípios, Estados e governo federal.

Aprendiz: Mas o país está em recessão, está quebrado?

Mestre: Idealmente, sim. Carl Jung desvendou o poder velado no inconsciente coletivo: tudo está engendrado no inconsciente social. Muito pouco tem sido divulgado, mas um dia descobrirão que Ali Babá tinha mais do que 240 ladrões, que Estados faziam caixa (mais de 7 bilhões), que o próprio BNDS emprestava dinheiro para fins não patrióticos (mais de 100 bilhões). Em breve, se permitirem, a delação do fim do mundo revelará.

Aprendiz: Começo a imaginar que a política é um jogo e que lesar os cofres públicos serve de justificativa para amarrar as mãos da população, favorecendo meios para aprovar medidas restritivas aos direitos da população, como o congelamento e a redução de 10, 20 ou 30% do salário; aumento nos impostos; retorno de pedágios; demissão no funcionalismo público; extinção de estatais; fim da saúde e do ensino público gratuito; privatizações. Agora, começo a entender o destino de grandes idealistas como Getúlio, Brizola, Tancredo, Abraham Lincoln, J. F. Kennedy. Onde estão seus seguidores?!

Mestre: Então, liberte-se. Corte as cordas da marionete; viva e construa a sua própria história! Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações!
 

Comentários