Palavras...
Sexta, 25 de Abril de 2014

Bom dia mui amados leitores, certos acontecimentos no seio familiar tem chocado muita gente. Vamos tentar encontrar alguns porquês através do verbo, mais precisamente através de palavras que são ditas ou das palavras esquecidas.

Aprendiz: Mestre, como entender as discussões familiares (e sociais) que têm levado ao caminho da desordem, da violência, do infortúnio, da desgraça, do crime?

Mestre: Os caminhos da ciência para explicar as atitudes mentais e por consequência ações e comportamentos humanos são os mais variados, pode-se citar como exemplos a sociologia, a psicologia, a medicina, bioinformática, a filosofia e até mesmo a religião. Contudo, basta verificarmos o comportamento dos avós para encontrarmos um caminho seguro em benefício da ordem, da paz e da prosperidade humana. 

Aprendiz: Como assim Mestre?

Mestre: Os avós, já velhinhos, possuem outra visão do mundo e, consequentemente, valorizam outras riquezas de origem não material. Observe o olhar, a alegria no rosto dos avós quando um netinho(a) chega a sua casa. E mais, preste muita atenção nas palavras que são ditas aos netos. Palavras que deveriam ser tão comuns no dia a dia de todas as pessoas, em todos os lares.

Aprendiz: E que palavras são essas?

Mestre: Amado(a), querido(a), amor, feliz, saudade, alegria, eu te amo.

Aprendiz: Percebo que essas palavras enchem nosso peito de emoção, até derramam lágrimas. Mas qual a relação das palavras com as dissonâncias familiares e sociais?

Mestre: Tente entender o significado da seguinte expressão: “No princípio era o verbo e o verbo estava com Deus, e o verbo era Deus (João 1,1)”. 

Aprendiz: Sim mestre, agora eu estou entendendo. As palavras possuem uma energia, uma relação direta com o ser criador do universo: Deus. Portanto se as pessoas disserem com maior frequência as palavras de amor, de carinho, de saudade, de afetividade as quais transmitem a boa energia, essa boa energia irradiará os entes familiares, as famílias e a sociedade, assim como um raio de sol que ao despontar no horizonte desperta toda a natureza para a vida (como o cantar dos pássaros ao nascer de cada dia).  

Mestre: Isso mesmo. Lembre-se que essas boas palavras devem ser ditas diariamente no seio familiar, para todos: marido, esposa, filho, filha, pai, mãe, irmãos, tios, avós...

Aprendiz: O cotidiano, às vezes, nos leva para caminhos de desânimo, desconforto, frustração, raiva, desencanto, que palavras também devemos lembrar de dizer?

Mestre: Perdão, desculpa-me, quero ser melhor, ajuda-me a melhorar, obrigado, vamos ser felizes. Não tenha vergonha de dizer essas palavras esquecidas no seio da família, ou da humanidade. Diga-as ao seu filho(a), a sua esposa, ao seu marido, ao seu irmão(ã), ao seu familiar, ao seu amigo, ao seu vizinho, ao seu colega de trabalho. Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações! 

Comentários