Volta às aulas
Sexta, 08 de Agosto de 2014

Bom dia mui amados leitores, quanta alegria estampada nas faces de crianças, jovens e adultos nesse início de semestre de aulas, após as férias de inverno.

Aprendiz: Mestre, é tão regozijante ver a alegria das crianças retornando à escola, reencontrando seus colegas e professores, contando as peripécias das férias, as novidades, brincando e estudando. O que podemos aprender com essas crianças?

Mestre: Muito pode e deve ser aprendido através do comportamento das crianças saudáveis. A começar pela liberdade de expressão e a pureza de seus sentimentos que direciona a compreensão, à tolerância, ao respeito, ao perdão, a verdadeira amizade, à comunhão, à fraternidade, à felicidade. 

Aprendiz: E quanto aos jovens do ensino fundamental e médio?

Mestre: Os jovens são os múltiplos personagens dos desejos, estão sempre observando as realidades à sua volta – inclusive através de instrumentos midiáticos (Tv, revistas, jornais, internet…) - em todas as áreas e criando universos imaginários à satisfação de seus desejos, tais como: ganhar muito dinheiro, entrar no roll da fama, ter a namorada(o) mais bonita(o), ter a roupa da moda, (ter um carro maneiro), ter uma profissão futura que lhe traga status e muito dinheiro, ter tudo o que desejam rapidamente e, geralmente, sem preparo e paciência para construir com solidez um meio honesto que lhes proporcione o que tanto desejam. 

Aprendiz: E quanto aos universitários?

Mestre: Esses são os protagonistas da realidade proximal (presente/futuro); são como os aprendizes de carpinteiros com os instrumentos nas próprias mãos. Ao entrarem na universidade recebem um martelo, um formão e um pedaço de madeira para talhar. Ao longo dos anos recebem todas as teorias e metodologias do conhecimento universal (científico) para esculpir e, ao longo da jornada, vão apresentando o que esculpiram para ser avaliados. Se a obra for ruim será (reprovado), se for boa será aprovado e se for excelente será aprovado com distinção. O mais importante a dizer é que o universitário tem o futuro em suas mãos. A qualidade de sua obra será dependente da qualidade de seu próprio esforço, de seu empenho nos estudos que refletirá diretamente nas atividades de trabalho, consequentemente no sucesso profissional, status social e remuneração ou no fracasso. É preciso paciência, dedicação aos estudos, praticar esportes, convivência social saudável, aculturação e lazer. O carvalho não se torna forte e frondoso e nem dá frutos da noite para o dia. Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações!

Comentários