Amor e Poder - representações!
Sexta, 24 de Outubro de 2014

 

Bom dia, mui amados leitores.

Aprendiz: Mestre, como posso entender as diferenças nos sentidos das palavras “Amor e poder”, se ambas são representações ulteriores do pensamento humano? Por exemplo: quem ama quer demonstrar seu amor e quem tem poder quer mostrar e fazer. Acaso, ambas não se fusionam no mesmo fim?

Mestre: Para não haver confusões entre o amor e o poder, que integram a relatividade da física quântica em forças que até mesmo podem estar amalgamadas num certo momento, como na criação (vida), é necessário analisar a origem dessas duas palavras distintas na essencialidade. O amor é a expressão do sentimento mais nobre que existe na espécie humana. É a grande força harmônica que integra todos os canais energéticos que interligam e constituem o organismo humano. Da sua unicidade surgem as maravilhas em todas as áreas, como: a criação do Universo; a liberação da grande força de atração e afinidade por outra pessoa para um relacionamento social; relacionamento amoroso; relacionamento à criação de um novo ser (filhos, perpetuação da espécie); a grande força enobrecedora de fazer o bem pelo próprio bem ao semelhante, de fazer o melhor, de querer construir uma sociedade melhor, estudando mais, trabalhando e se relacionando de modo justo e perfeito. Nesse contexto de unicidade das forças energéticas integrativas do ser humano, resplandece o magnânimo amor que se expande em poder, mas é o poder de transformação ao sumo bem, à criação, o único poder constituinte de beleza, força e sabedoria universais. Popularmente, esse tipo de poder tem sua origem no corpo humano delegada ao órgão do coração. Pode-se dizer, de outro modo, que as ações realizadas para o bem são provenientes de forças positivas, emanadas do coração. Por outro lado, a palavra “poder”, quando desvinculada do “amor”, tem origem unicamente no ego, o centro psíquico de natureza pulsional do ser humano que visa à satisfação pessoal, desde as mais primitivas necessidades: comer, fazer sexo, mostrar-exibir, fazer o que adentrar no campo dos desejos e das vontades sem estar preocupado com as conseqüências, sem responsabilidades. Esse tipo de poder gera ações do tipo: “os meios justificam o fim”, desde que haja um benefício próprio no fim.

Aprendiz: Que exemplos podem representar o tipo de poder “pulsional”, mestre?

Mestre: O vale tudo nas ações humanas (Ultimate Fighter - Brazilian Politics); o vale tudo por dinheiro; assassinatos; crimes (o caso menino Bernardo).

Aprendiz: E quais representações podem ser descritas pelo poder do amor, mestre?

Mestre: Os trabalhos sociais que favorecem o desenvolvimento das habilidades e capacidades dos nossos semelhantes. Por exemplo: os trabalhos realizados na escola musical Um Toque Cultural - FW, da profa. Cléria Kojoroski e sua belíssima equipe, os quais despertam potencialidades musicais nas crianças, nos jovens, nos adultos à harmonia.  Parabéns a todos da escola! Tenham uma ótima semana e que Deus ilumine vossas mentes e corações!

Comentários