Na Praia
Sexta, 02 de Outubro de 2015

Inter e Grêmio nadaram pra morrer na praia, na busca de vaga pelas semifinais da Copa do Brasil. As eliminações ocorreram porque ambos não fizeram o dever de casa.

O Grêmio, grande vencedor da competição com quatro títulos, perdeu o critério básico de jogar com o regulamento embaixo do braço e tomou gol no jogo da volta na Arena. Apesar de viver um grande momento, o tricolor não foi o clube copeiro que lhe garantiu marca e destaque na competição. Uma grande decepção para o torcedor.

O Internacional, por sua vez, a exemplo do doente, melhorou no prenúncio da morte. Jogou bem contra o Palmeiras em São Paulo, foi prejudicado pela arbitragem e merecia ter passado. O problema se deu no jogo de ida no Beira Rio, onde permitiu o empate e quase perdeu jogando nos seus domínios.

Ao futebol gaúcho fica claro que falta não só futebol, mas políticas claras e bem definidas para não continuar no grau de mero coadjuvante.

Brasileirão
Restou o Campeonato Brasileiro para a Dupla Grenal, porém com chance nenhuma de título. O Grêmio deve garantir vaga na Libertadores e o Internacional só por milagre poderá salvar a sua participação almejada com vaga no G4, sem contar que a quarta vaga ainda não é garantida. Em síntese, mais uma temporada ruim de Inter e Grêmio.

Mesmo que o Grêmio garanta vaga na Libertadores, ainda assim é muito pouco para ser comemorado.

Arbitragem
Para os boleiros a repercussão não é tão forte, pois futebol é apenas um negócio ou uma atividade profissional, já para o torcedor que coloca a paixão pelo clube acima de tudo, quando a arbitragem interfere diretamente no resultado do jogo, mexe com o emocional, destrói os sonhos e estraga o dia seguinte.

O pior de tudo é que as arbitragens têm repetidamente prejudicado a Dupla Grenal. Pode ser considerado choro, mas neste detalhe cabe dizer que não é fácil ser gaúcho e torcedor, mais ainda quando os confrontos são contra os grandes do Rio e São Paulo.

União
A classificação foi merecida! O União melhorou muito com os reforços, a insistência, a repetição... enfim o trabalho apareceu e o time dá mais confiança. Agora é a vez do torcedor voltar a ser o torcedor do União, voltar a valorizar o ato corajoso e notável de alguns desportistas que após décadas estão a oferecer o futebol profissional para a nossa região.

Comentários