Copinha
Sexta, 09 de Outubro de 2015

O momento é positivo para o União Frederiquense, que se reabilitou após começar mal a participação na Copinha. Domingo já volta a jogar e enfrenta o Palmeirense, com boas possibilidades de passar.

A partir de agora as disputas passam a ser no mata-mata e com a melhora da equipe, o União pode sim passar pelo adversário. O fato de jogar a segunda partida em casa não chega a ser uma grande vantagem, mas traz para seus domínios, diante do seu torcedor, o jogo decisivo.

Recentemente vimos o Grêmio sucumbir diante do Fluminense após conseguir bom empate no Maracanã. O ideal nestes casos, e vale para o União, é fazer gol fora de casa, já que o regulamento baseia-se exatamente na Copa do Brasil.

TORCEDOR
Neste segundo semestre o União paga um preço pelo péssimo desempenho do primeiro semestre. Nessa avaliação tem razão o técnico Marcelo Caranhato: não pode o atual elenco pagar pelos erros anteriores. É hora de acreditar, depositar confiança e comparecer.

Tudo, porém, vai depender da performance em Palmeira das Missões neste domingo.

BRASILEIRÃO
A folga motivada pelos jogos das eliminatórias será benéfica para os clubes, principalmente para aqueles que aproveitarem melhor o tempo para trabalhar, treinar mais. A dupla Grenal tem um histórico positivo e vejo que podem sim melhorar nesta reta da competição.

A tarefa mais complicada para garantir vaga na Libertadores é a do Internacional, mas há um otimismo no Beira Rio, principalmente porque D’Alessandro está se recuperando. Até nisso a parada é altamente positiva para o Colorado.

Se Dale estiver bem e voltar a apresentar o seu bom futebol, o Inter tem sim a possibilidade de emplacar.

GRÊMIO
O planejamento é tudo no futebol e isso está sendo mais uma vez comprovado com a gestão implantada pelo tricolor. De clube quase falido no início do ano, acumulando dívidas e dificuldades com elenco, se desfez dos seus principais jogadores e se reinventou. Tudo isso com um trabalho muito forte da direção através de Romildo Bolzan Jr, cujo principal grande acerto foi trocar Felipão por Roger no comando técnico, e com isso mudando a comissão técnica, onde os demais cargos são ocupados por funcionários do clube e não fazem parte do pacote do treinador.

Comentários