União
Sexta, 19 de Fevereiro de 2016

O técnico Marcelo Caranhato foi enfático durante entrevista na Luz e Alegria nesta semana, “tenho um grupo mais qualificado tecnicamente do que o que trabalhamos no primeiro semestre”.

É bem verdade que os adversários também serão bem mais qualificados do que os que disputaram a Copinha, mas quando o técnico assume publicamente que tem um grupo qualificado para trabalhar, significa confiança no trabalho e nos jogadores, pois assume uma responsabilidade muito grande quanto aos resultados.

Em tempo, a forma clara, transparente e direta como Caranhato trata as questões mostram que terá um futuro exitoso na carreira. Quem sabe interpretar os questionamentos e dá respostas convincentes é porque tem conhecimento de causa.

Carências

O comandante do União fez uma observação sobre os jogadores que não respondem taticamente o que lhes é determinado.

“Não há mais espaço no futebol para atleta que atua no individual, futebol é coletivo, quem não se encaixar num sistema não terá mais espaço com os treinadores”.

É a tendência, aliás, o futebol está avançando muito, os volantes que eram apenas marcadores estão perdendo espaço para os que sabem jogar e é um dos avanços que Caranhato pretende para o futuro do União. Está no caminho certo.

Internacional

A renovação está acontecendo e diante de adversários fracos está dando boa resposta. Para qualificar o grupo, o Internacional terá em breve o volante Nilton, o meia-atacante Valdivia e o atacante Vitinho, mas precisa ainda daquele jogador diferenciado no meio de campo para substituir D’Alessandro.

Grêmio 

Estreia ruim contra o Toluca, do México, que não é um dos mais qualificados do grupo. É claro que a altitude faz a diferença, mas precisa melhorar muito. Com um jogador a mais, foi batido e dominado pelo adversário. Libertadores é briga pra cachorro grande.

Comentários