União
Quinta, 24 de Março de 2016

Escrevo sem saber do resultado do União Frederiquense contra o Esportivo em Bento Gonçalves na noite de ontem. O fato é que esse jogo não é um divisor de águas para as afirmações. O Clube frederiquense, infelizmente, repete os problemas que já se tornaram tradicionais quanto ao início de temporada.
O União sempre sacrifica seu torcedor, seus apoiadores para só então recuperar-se na competição.
Na primeira divisão, a recuperação não foi possível porque o clube não sofreu o choque de transformação que precisava ou pelo menos este não deu certo.
Pois a hora do choque já está atrasada para este início de temporada.

Viagem

A delegação viajou para a serra gaúcha e dois dos jogadores que chegaram para serem destaques da equipe não foram relacionados, Luiz Fernando e Christian Fábian. Ao que parece, as medidas iniciaram após o empate com o Santo Ângelo, mas por incrível que pareça o mercado não oferece grandes alternativas, pelo menos para a capacidade de investimentos do clube. E contra o Esportivo, o União viajou muito mais fraco do que já esteve, sem os laterais e sem um meia que seria o candidato a craque do time.

Cascudos

Muito se fala que um time de futebol não pode abrir mão de contar com jogadores cascudos, experientes, desde que possa selecionar esses cascudos.
Quando um jogador muito rodado se sujeita a trabalhar por um salário que não é dos melhores, algo de errado tem.
Como se costuma dizer em relação a profissionais do rádio, quem é bom está empregado. O mesmo vale para atletas, os bons escolhem onde querem jogar.

Internacional

Não pude acompanhar o desfecho da situação que envolve o técnico Argel do Inter, pois só a classificação o manteria no cargo. Isso pelo menos foi a especulação da semana e o Inter também está na capa da gaita.

Comentários