Derrota
Sexta, 03 de Junho de 2016

O gosto amargo da derrota para o Caxias vai demorar para passar. Mais uma vez a bola do jogo aconteceu devido à falha defensiva. É chato falar disso, mas o União carrega um estigma negativo no Vermelhão da Colina. Imagine o time precisando de um empate para garantir classificação e sofrer um gol daquela forma, é difícil superar.

Chato também é transmitir um jogo fora de casa, no qual o União faz uma boa partida, chama o torcedor e em casa a equipe não consegue fazer um bom jogo. Quarta-feira, na saída do Vermelhão da Colina, fui interpelado por um torcedor que disse o pé-frio sou eu: nunca consegui ver o União jogar bem.


Classificação

Acredito seriamente na classificação do União, mas deixar a decisão para a última rodada é um risco tremendo. Essa parecia ser a classificação mais fácil para o time frederiquense e, no entanto, a transferência de um jogo para outro foi criando para a última rodada um componente que pode gerar instabilidade e preocupação.

Mas para o União, sempre tem que ser assim, no limite.

 

Meio campo

O União Frederiquense está encaixado no seu sistema tático, porém, o meio de campo numericamente está com apenas três jogadores e sofre para enfrentar equipes bem compactadas, a exemplo do Caxias. Em jogo que não é preciso vencer, seria conveniente armar um esquema diferente; o problema são as opções. Enquanto o União não dispunha de nenhuma alternativa para substituir o Ronaldinho Gramadense, que estava desgastado, o Caxias tinha no banco Diego Miranda. É uma diferença oceânica de plantel.


Líder

O Internacional venceu o Atlético Paranaense e assumiu a liderança na quinta rodada do Brasileirão. Em tempo, não conhecia o resultado do jogo do Grêmio até o fechamento da coluna. Mas faço a observação para destacar que o Internacional é exemplo de time que está jogando jogo a jogo, ciente das suas limitações, que não está preocupado em jogar bonito, mas sim em vencer.

Este espírito implantado pelo técnico Argel pode sim dar a alegria tão esperada pelo torcedor colorado, que desde 1979 não coloca no peito a faixa de campeão brasileiro. É claro que precisará qualificar a equipe e, sobretudo, o plantel.

Comentários