União Forte
Sexta, 28 de Março de 2014

A direção do União Frederiquense deu uma forte resposta quanto as mudanças na equipe para o segundo turno da primeira fase da competição e a situação é totalmente diferente daquela do início do certame.

Foram meia dúzia de contratações, reforços para as posições mais carentes e principalmente um trabalho qualificado da Comissão Técnica que dá uma esperança muito grande ao torcedor e o União vem forte para fugir da situação incômoda e projetando classificação.

O futebol é feito de resultados, mas para obtê-los é preciso que as respostas sejam positivas e elas foram, os resultados certamente também virão.

Grupo A

Muito se tem falado sobre a qualidade das equipes da Chave A, que em tese seriam inferiores a maioria das equipes da Chave B, da Série A2, o que seria altamente favorável ao União Frederiquense em termos de disputa no segundo turno.

No futebol, raramente isso se confirma, até porque a exemplo do União, as demais também estão se qualificando, ninguém quer ser rebaixado e a manutenção na Série A2, para muitos, é a conquista perseguida, bem mais que a classificação à elite, então há muito a ser feito neste segundo turno, o que aumenta muito a responsabilidade da equipe.

Grenal

Domingo tem Grenal, já fazia algum tempo que não havia esse clima de clássico na final do gauchão. O confronto entre os dois grandes do futebol gaúcho valoriza o campeonato e dá novo ânimo ao torcedor, afinal, o que é mais importante do que uma vitória sobre o arquirrival?

Na disputa nos 180 minutos penso que o Grêmio leva uma pequena vantagem sobre o Internacional, obtendo leve favoritismo.

Tal opinião, tem base na preparação das duas equipes. Como o Grêmio disputa uma competição de maior exigência, a Libertadores, logo sua preparação se deu de forma a aprontar melhor a equipe neste início de ano, coisa que o Internacional faz a um passo mais lento pois a exigência maior deverá ocorrer durante a fase final da Copa do Brasil, caso classifique, e o Campeonato Brasileiro.

Por esta leitura, hoje o Grêmio está melhor, mas ao final da temporada o Internacional deverá levar boa vantagem, é aguardar e ver.

Julgamentos

É incrível como a FGF dá as cartas de forma diferente para clubes da Série A em relação a Série B, ou para grandes e pequenos.

Esse caso que envolveu o ex-jogador do União Rodrigo Zeferino é um caso típico de que a caneta do presidente realmente é quem determina o que pode e o que não pode no campeonato em detrimento do que consta no regulamento.

Os investimentos feitos pelo Brasil de Farroupilha, a pretensão de subir para a primeira divisão aliados aos interesses da Federação em ter mais um time da Serra na Série A e por aí afora fazem a diferença, até quando não sei. 

Comentários