União
Sexta, 06 de Junho de 2014

Para realizar grandes conquistas, não basta apenas agir, sonhar; não apenas planejar mas também acreditar. A direção, comissão técnica, o grupo de jogadores, a imprensa e boa parte dos torcedores acreditaram o tempo todo, este foi o diferencial nesta conquista histórica. O entusiasmo é a maior força da alma.

A ficha vai começar a cair muito mais tarde, porém o momento é de festejar é de se orgulhar, nunca na história um clube de futebol em apenas 4 anos de existência protagonizou tantas conquistas como o União.

Clubes centenários e de cidades muito mais populosas perseguem há anos tal objetivo e por mais que remem acabam morrendo na praia.

Epopeia

Não há referência maior para a conquista do União obtida na quarta-feira, 4, dia para ficar na história e na memória de todos os moradores da região. Para uma equipe que vinha sendo esculachada pelos adversários, sendo chamado de tantos adjetivos pejorativos pela péssima campanha do primeiro turno, garantir a terceira vaga a elite do futebol gaúcho foi uma façanha e tanto.

“Sirvam nossas façanhas, de modelo a toda a terra”, nunca o hino Riograndense se encaixou tão bem numa conquista como nesta do União Frederiquense. Agora é realizar um bom planejamento para fazer bonito na competição, nunca se encolhendo diante dos adversários mais poderosos, dá-lhe União.

Pé Salton

O entusiasmo é tanto que o empresário e vice-presidente do União, Edio Salton, anunciou nos microfones da Luz e Alegria, ainda na noite de quarta-feira, que a Federação Gaúcha de Futebol, através do seu presidente Francisco Noveleto garantiu o primeiro jogo do União na Séria A, contra o Internacional, aqui em Frederico Westphalen.

Isto sim será um espetáculo, já pensou quando a ficha realmente cair? Por mais que a gente esteja nesta euforia toda, ainda não nos é possível dimensionar o tamanho de tal conquista.

Atropelou

Com todo o respeito ao Brasil de Farroupilha e sua torcida, mas o União Frederiquense deu um chocolate no time da Serra. Como se diz na campanha, fez barba, cabelo e bigode. Em alguns momentos chegou até a ser humilhante para o adversário, a ponto de seus torcedores enraivecidos jogarem todo o tipo de objetos para dentro do campo e ainda no primeiro tempo começarem a abandonar o seu time, deixando o estádio e indo para casa.

Que isto nunca aconteça com o União, mas que sirva de lição para que nunca cantemos vitória antes do tempo. Aquela história do ovo no ventre da galinha, serve para uma reflexão profunda. No futebol, cantar vitória antes do tempo não serve.

Vamos tomar isto como exemplo, ou seja, o Brasil de Farroupilha comemorou antecipadamente e pagou um preço alto, levou 3 a zero e um “rodião”, como se diz na língua do futebol.

Aí que eu me refiro

Plagiando Joca Martins, faço uma referência ao presidente do União Frederiquense Celson Oliveira. Ao pagar uma promessa na manhã de ontem, permitiu que o grande goleiro Lúcio lhe cortasse o cabelo usando a máquina no padrão zero.

Ficou parecido com um desodorante Rolon, e o técnico Rodrigo Bandeira lascou, é feio mas é gente boa. Não resta dúvida de que este União Frederiquense para muitos tornou-se uma extensão da família. Que esta amizade, este comportamento dure por todo o tempo possível.

União Frederiquense

Glorioso, time guerreiro

Orgulho de nossa terra

Gaúcho e brasileiro


Pra frente, sempre pra frente

Postura de vencedor

Não teme nenhum oponente

Tens na raça o teu maior valor.

Comentários