Internacional
Sexta, 01 de Agosto de 2014

A terrível performance do Internacional nos dois últimos jogos, Bahia, pelo brasileirão e Ceará, Copa do Brasil, mostrou um Internacional fraco na marcação, sem articulação e sem ataque. Isto é motivo de grande preocupação pois vem aí, dia 10, mais um clássico Grenal e o efeito Felipão pode fazer a diferença.

Há muito vem se falando em contratações de reforços para a equipe, mas sobre o sistema defensivo que é a maior carência, nada.

É preciso urgentemente melhorar este Inter para o clássico e até mesmo para se manter na parte de cima da tabela.

Grêmio

A chegada de Felipão parece ser o combustível que o Grêmio precisava. O elenco é qualificado e foi reforçado recentemente, mas não vinha tendo atuações positivas devido às dificuldades do treinador em encaixar o time, agora o Grêmio vai, pois tem time para estar muito melhor na tabela e arrisco dizer até para brigar pelo título.

Felipão

Apesar de possíveis contestações devido ao fracasso no comando da Seleção na Copa do Mundo, Felipão chega ao Grêmio com a imagem deixada há 18 anos, e é isso que importa, pois é daquele profissional que o time precisa.

A dúvida é se Felipão se acostumou com o glamour do círculo da CBF. O fato de ter sido mais garoto propaganda do que treinador precisa ser esquecido, o problema é se ele se acostumou com a bajulação. Aqui no Rio Grande do Sul ou em qualquer outro estado onde os clubes almejam títulos é preciso muito trabalho.

Por isso a questão o Felipão de hoje será o Felipão do Grêmio de 18 anos atrás ou o Felipão da Seleção de 2014, que trabalhou pouco e comandou uma equipe abalada emocionalmente? Afinal, qual o motivo de tanto desequilíbrio emocional naquele grupo de jogadores?

Brasileirão

O Campeonato Brasileiro vem se tornando uma competição aparentemente fácil de ser vencido, prova disso foi a facilidade que o Cruzeiro venceu a competição em 2013, fato que se encaminha para a repetição em 2014.

Tudo bem que o Cruzeiro esteja com um excelente time, com plantel superior aos demais, mas daí a não encontrar adversário para, pelo menos, fazer um enfrentamento equilibrado já é demais.

Talvez por isso que o craque do brasileirão 2013, considerado até então um dos melhores campeonatos do mundo, falo do meia atacante Everton Ribeiro, do Cruzeiro, não foi lembrado nem na relação de suplentes para a fraca seleção que disputou a Copa do Mundo.

Comentários