Suinocultura: uma cadeia produtiva forte na região
Sexta, 14 de Novembro de 2014

Impressionante como o ser humano é capaz de buscar soluções diante de alguma dificuldade que lhe é imposta. Falo da situação geográfica e principalmente do relevo da região de pequenas propriedades que não favorecia a mecanização quando a expansão das atividades agrícolas ocorria somente para a produção de grãos. As pequenas propriedades precisaram achar soluções econômicas que viabilizasse as pessoas que ali viviam. Assim surgiram as atividades na produção leiteira, a avicultura, a suinocultura, as hortaliças, a fruticultura entre outras. A criatividade na produção e a busca de parcerias viabilizaram propriedades diminutas gerando riquezas.

Numa análise superficial num raio de pouco mais de 100 km de Frederico Westphalen encontramos uma das maiores concentrações de suínos do país. São pelo menos sete frigoríficos de grande porte que aqui estão instalados. No somatório abatem ao redor de 10.000 suínos/dia o que demanda mais de três milhões de animais/ano. Em nível de produtor são necessários ao redor de 6.000 criadores em sistema de terminação para dar conta desta demanda. Não vou falar das maternidades e crechários fundamentais na etapa que antecede a terminação. São pelo menos 10.500 pessoas que trabalham dentro dos frigoríficos e, por conseguinte injeta renda em suas famílias. Quantos trabalham antes e depois do frigorífico?

 A atividade envolve transportadores, técnicos, fornecedores de rações e insumos, fornecedores de equipamentos, máquinas, construtores, metalúrgicas e tantos outros ramos de negócios e também profissionais que aquecem a economia dessa região. Deve-se lembrar de que na produção se envolvem inúmeros agricultores que produzem milho e soja que ajudam a viabilizar as indústrias de rações. 

Contudo, a atividade também é viabilizada porque tem consumidores que apreciam a carne suína e seus derivados. E neste ponto a qualidade da carne suína tem chamado a atenção competindo em igualdade com outras carnes e por preço acessível. O mercado mundial vem se abrindo para a carne suína brasileira e grande parte da produção local vai para o exterior. 

 A suinocultura nos últimos anos estabeleceu uma cadeia bem organizada que traz emprego e renda para inúmeras famílias aquecendo com isso os municípios desta região. O que seria se não tivéssemos os frigoríficos aqui estabelecidos? Alguém lembra do período que o frigorífico local ficou fechado e como andavam os ânimos por aqui? 

Vale salientar também que ambientalmente houve um salto de qualidade nesta área. Contudo, continua o esforço para melhorar ainda mais a disposição dos dejetos a nível de produtor sem que haja comprometimento do solo, da água e outros recursos naturais. Sem dúvida, a suinocultura é uma cadeia produtiva das mais importantes e fortes da região. Reconhecimento para aqueles que estão envolvidos e projetam a atividade.

Comentários