O Natal e o ano-novo renovam o coração como a chuva renova o campo
Sábado, 27 de Dezembro de 2014

O Natal está chegando e o clima é de festa. As ruas, as praças e a cidade inteira estão movimentadas. Crianças e adultos carregam presentes e o vai e vem é contagiante. As casas estão enfeitadas, os parentes e amigos estão na expectativa do encontro para as festas. Alguns viajam e outros recebem visitas. Os preparativos são intensos!

Interessante! Quando entramos no mês de novembro e início de dezembro já estamos resmungando de cansados. As atividades e os envolvimentos durante o ano vão nos desgastando como a falta de chuva vai minguando as plantas numa seca a dentro. Ficamos esperando os eventos natalinos e de final de ano para descansar, para rever familiares, para rever amigos e para festejarmos o nascimento do Menino Jesus e o novo ano que começa. Igual numa seca onde ficamos olhando para o horizonte e para o céu esperando a chuva. A chuva vem e a natureza se restabelece.

 Temos muito a comemorar neste ano. Cada um tem. Tivemos boas safras, chuvas em abundância, tempo bom para os cultivos, preços bons da maioria dos produtos, financiamentos agrícolas na hora certa e em abundância. Também tivemos eleições com a possibilidade de escolhermos nossos governantes e representantes e, um destaque especial para a agricultura familiar que teve o ano todo dedicado pela ONU. Agricultura familiar que aliada ao agronegócio fortalece o nosso país. Agricultura que está sempre presente inclusive na origem da matéria prima para alguns dos produtos usados nas comemorações do Natal e do final de ano como lembra meu grande professor Dr. Elmar Luiz Floss na sua coluna semanal do jornal O Nacional: a uva dos vinhos e espumantes; as carnes (frango, peru, suíno, gado); o arroz; o trigo para o pão, o panetone, as bolachas; a cevada para a cerveja e o chope; o leite para os doces, cremes, queijos; as frutas in natura e cristalizadas; as verduras e outras miudezas como o amendoim, as castanhas, os temperos entre outros.

O fim de um ano também nos remete a um novo período: o ano novo. Firmamos propósito para a superação do que não foi satisfatório e torcemos para que tudo corra a nosso favor no ano vindouro. Assim, vamos esquecer as enchentes que danificaram as plantações e também desalojaram as famílias, a frustração da safra de trigo, as falcatruas com o leite depois que saiu da propriedade que vem prejudicando a comercialização e o preço ao produtor, as ameaças do emplacamento das máquinas agrícolas, a roubalheira na Petrobras que contribuiu para manter o preço elevado dos combustíveis e tantas outras angústias que surgiram.  Vamos confiar em Deus que é o Senhor do universo e cuida de toda a sua criação. Vamos continuar a dar o melhor de nós nas ações que empreendermos. Vamos colaborar para a harmonia das relações na sociedade. Vamos cuidar do meio ambiente para tornar melhor o lugar onde vivemos.  Não esqueçamos que o Natal e o Ano Novo renovam o coração como a chuva renova o campo. Feliz Natal e próspero Ano Novo a todos!

Comentários