Um grande argumento da agricultura é a rentabilidade
Sexta, 29 de Maio de 2015

Já falamos aqui e, em outros espaços vi argumentos sobre as causas do êxodo rural. Não faltam estudos e teorias sobre o assunto. Esforço redobrado das entidades e instituições ligadas ao campo é dispensado para motivar os agricultores e, sobretudo os jovens a permanecerem na agricultura. Parece tudo em vão! Cada dia aumenta a oferta de terras. Cada dia mais famílias e jovens vêm para a cidade. O que está acontecendo? Há como estancar isso? Continuo afirmando que é um processo natural. As pessoas têm o direito de acessar ocupações ou serviços que melhor lhes satisfaçam. O que não é desejável é se alguém é forçado a sair do seu ambiente por problemas alheios a sua vontade.
A saída do campo pode ser retardada, adiada ou abortada se as atividades agrícolas empreendidas apresentarem rentabilidade suficiente para satisfazer as necessidades da família. A rentabilidade depende de diversos fatores entre os quais a tecnologia de produção, a escala, os preços pagos aos produtos, os custos de produção. Estes fatores podem ser encaixados como necessidade de boa gestão. Sobre estes, temos algum poder de interferência, se não sozinhos, mas associando-nos. Ainda há outro fator decisivo que é o clima. Sobre este, temos pouca interferência, senão através da irrigação ou do cultivo protegido no caso de pequenos espaços.
As estruturas de apoio como estradas, energia elétrica, comunicações, armazenagem, transportes entre outros, não são satisfatórios na região, sobretudo onde a agricultura familiar é predominante. Estes fatores auxiliam para encarecer os custos de produção. Também podem servir de desestimuladores de empreendimentos ou a “gota d’água” para o agricultor sair da atividade.
Podemos ter carências em algumas áreas pela frágil articulação política de cada cidadão que vive por aqui. Mas não temos carência de tecnologias, de assistência técnica, de informações, de assessorias para a produção e para a gestão. Se gestão engloba a maior parte dos problemas das propriedades para alcançar a rentabilidade o que falta então? Temos pelo menos cinco instituições de formação superior só em Frederico Westphalen. Ainda temos o Senar, o Sebrae, empresas, prefeituras, cooperativas, Emater, Sindicatos entre outros. Como conceber que um dos principais problemas da falta de rentabilidade das propriedades é a falta de gestão?
Na maioria das propriedades os fatores de produção não são arranjados adequadamente. Logo, a tão desejada rentabilidade não é atingida suficientemente, desmotivando o agricultor a permanecer na atividade. Muitos somente permanecem na atividade pelo acesso contínuo as políticas públicas dispensadas pelos governos, o que também não é sustentável. Muitos agricultores adotam sistemas de gestão eficientes e estão prosperando. No entanto, há aqueles que têm problemas sérios de gestão e, claramente a rentabilidade aparece. Se as atividades rurais não colocarem dinheiro no bolso do agricultor não há argumento para que ele permaneça no interior.

Comentários