A região pode produzir mais e melhor
Sexta, 24 de Julho de 2015

O desenvolvimento de uma região está condicionado a alguns fatores entre os quais a qualidade do trabalho do seu povo, as estruturas de apoio como o sistema de transporte satisfatório, a energia elétrica e as comunicações de qualidade, o acesso aos serviços de saúde, educação entre outros. O Médio Alto Uruguai já galgou postos de melhora e acelera a passos largos rumo a uma região desenvolvida. A economia que é baseada na agropecuária tem muito a crescer.
A agricultura melhorou muito nos últimos anos especialmente quando a referência é a soja e o milho, pois vem alcançando produtividades recordes, igualando-se às melhores regiões do Brasil. No entanto perdemos status na produção de feijão que se tornou quase que inexpressivo e, os cereais de inverno cujas condições climáticas não favorecem essas culturas. Vale salientar que, embora tenhamos áreas expressivas com aptidão para a produção de grãos, temos a maior parte da região com solos com restrições, inclusive aos fatores climáticos.
A fruticultura vem evoluindo, sobretudo nas culturas de maior agregação de valor, como a uva e em alguns municípios a citricultura. Temos muito espaço ainda para aumentar e qualificar estas frutas e produzirmos comercialmente outras espécies tais como a melancia, o melão, o moranguinho, o pêssego, a nectarina, o caqui, o figo, a noz pecan e entre outras.
No ramo das olerícolas alguns municípios são autossuficientes nas espécies folhosas (alface, radichi, almeirão, rúcula, chicória, tempero verdes), mas a região tem espaço para produzir todas as hortaliças aqui consumidas (tomate, pimentão, cenoura, beterraba, cebola, alho, repolho, couve-flor, brócolis e etc.).
Vamos comentar pouco sobre as plantas ornamentais, pois importamos todas. Essa atividade é uma das que mais agrega valor, embora exija muito conhecimento e tecnologia cujo suporte a região tem nas universidades e órgãos de assistência técnica.
No ramo animal temos a atividade leiteira com expressivo plantel e produção. Muito espaço tem ainda nessa atividade, sobretudo aumentando a produtividade e na industrialização do leite. A suinocultura e a avicultura tem destaque na região com cadeias organizadas e qualificadas. A expansão depende de critérios das agroindústrias integradoras que também dependem dos mercados consumidores. Precisamos avançar muito na piscicultura, na apicultura, aves de postura entre outras atividades de produção animal.
A região precisa continuar investindo em atividades agregadoras de renda aproveitando a disponibilidade de técnicos disponíveis e, sobretudo, demandando para as universidades a pesquisa necessária para resolver gargalos tecnológicos ou de qualificação.

Comentários