O conhecimento necessário ao agricultor
Sexta, 21 de Agosto de 2015

As práticas na agricultura e na pecuária vêm mudando muito nos últimos anos. Mudaram as cultivares dos principais produtos agrícolas e também as raças das principais criações. Mudaram também o jeito de lidar com o meio ambiente, com o solo, de controlar as pragas, as doenças e as invasoras. Mudaram as máquinas e os equipamentos. Os fertilizantes também estão disponíveis sob fórmulas variadas e mais complexas. Mudou, enfim, o jeito de produzir e de vender. Os mercados ficaram mais exigentes. Menos gente está ficando na atividade agrícola e, para dar conta, a maioria das operações exigem mecanização ou automação. O agricultor para produzir precisa ter à disposição uma estrutura de máquinas, de equipamentos e de informações, sem as quais manualmente e por si só, não dá conta.
O primeiro objetivo da produção agrícola é o sustento da sua família. Significa que ele produz a subsistência e também produz para a comercialização, cuja receita servirá para acessar o que em casa não é capaz de gerar.
A tecnologia evoluiu a ponto de estar disponível resolvendo ou colocando necessidades a todos. Não importa onde vivem as pessoas, se no campo ou na cidade, pois todas têm as necessidades básicas, as necessidades psicológicas e as de autorrealização. As necessidades precisam ser satisfeitas e muitas delas dependem de dinheiro. Dinheiro que na agricultura vem das produções. Significa dizer que não basta produzir e vender. Tem que sobrar dinheiro para satisfazer a família. O agricultor precisa acessar conhecimento além daquele inerente ao da produção. Precisa entender dos mercados, da legislação, da tributação, das implicações ambientais, da qualidade dos produtos, entre outros. Quanto mais entender destas complexas relações, mais habilidade terá para administrar seus negócios e, assim, poderá ter melhor rentabilidade das suas atividades.
Uma premissa básica para continuar na atividade rural é gostar dela e a outra é especializar-se. O gostar implica em persistir, em criar, em superar, em ter prazer de estar lidando com a terra, com as plantas, com os animais. A especialização decorre da primeira (do gostar) e precisa buscar apoio para entender a complexidade da natureza do animal (da raça, do manejo, da tecnologia da produção), do vegetal (da genética, das necessidades nutricionais, do manejo e etc.) e do meio ambiente, onde estão inseridos os vegetais e os animais em produção. Precisa entender das relações sociais dos humanos que demandam produtos e, por isso, estão dispostos a pagar por eles. Precisa entender e adotar um sistema de gestão que permita sobrar dinheiro das produções. Então, o conhecimento é um fator necessário para a produção e para se obter rentabilidade na agricultura. Quem não buscar conhecer o que faz e adotar estratégias para permanecer e se aperfeiçoar na atividade estará fora do processo produtivo. Não há milagre e política pública que segure este agricultor no meio rural. Por isso, o melhor é buscar conhecimento.

Comentários