Agricultura de precisão: da universidade para os agricultores
Sexta, 10 de Junho de 2016

Mudanças gradativas e profundas vêm ocorrendo na região. Mudanças para melhor! Oportunidades vêm se apresentando para as famílias e com isso a região vem se desenvolvendo. Há muito tempo se almeja esse desenvolvimento. Claro que a conjuntura político-econômica nacional tem contribuído. Mas, muito se deve ao esforço das lideranças em mobilizar a população e os gestores para a conquista de estruturas, recursos e serviços para o empoderamento regional. A implantação de universidades, com certeza, foi o marco divisório para as mudanças. E fruto delas, os resultados estão aparecendo em todas as áreas. São empreendedores que se encorajam para constituir empresas em ramos diversos. São as empresas com recursos humanos melhor qualificados. São serviços de melhor qualidade disponíveis à população. São pesquisas que se convertem em tecnologia aplicada. São as propriedades rurais com melhor gestão e com atividades mais rentáveis. Aliás! É sobre as propriedades rurais que gostaria de aprofundar o assunto.

Hoje temos menos gente no meio rural, mas as produções aumentaram e a maior parte das famílias apresenta melhor qualidade de vida. Creio que aqui está uma grande contribuição das universidades para a região, pois a economia da maioria dos municípios está alicerçada no setor rural. O conhecimento e as tecnologias vêm sendo apropriadas no setor produtivo, tanto no ramo animal (suínos, leite, aves), quanto no vegetal (soja, milho, trigo, feijão, frutas, hortaliças) com ganhos notáveis. O meio ambiente vem sendo melhor cuidado, as terras vêm sendo melhor aproveitadas, os insumos melhor utilizados e tudo isso vem se convertendo em produções qualificadas. O homem do campo está tendo um melhor conforto no trabalho pelo uso de máquinas e equipamentos mais adequados. O conhecimento está permitindo ao homem do campo o acesso a tecnologias de ponta que o incluem aos mais elevados patamares do setor produtivo. Cito como exemplo o uso da tecnologia da Agricultura de Precisão. Quem diria, há dez ou quinze anos, que os agricultores estariam aplicando em suas atividades a tecnologia do GPS, da informática e da análise de dados? Pois bem, estão usando e passarão a usar mais ainda. É a chamada tecnologia da agricultura de precisão. Uma ferramenta para um sistema de gestão da produção agrícola no qual se otimizam os sistemas agrícolas, a partir do manejo das diferenças produtivas e dos fatores envolvidos na produção. Uma tecnologia que considera a variabilidade nas áreas agrícolas e que as trabalha dosando insumos (fertilizantes, genética de sementes, defensivos agrícolas) e efetua manejos de modo a considerar cada particularidade visando à redução de custos, evitar desperdícios de insumos, reduzir tempo, evitar a eventual poluição e, com isso, aumentar a rentabilidade. Uma tecnologia que reúne os princípios agronômicos e os aplica em favor da produção apresenta uma visão de sustentabilidade dos sistemas para as gerações futuras. Quem diria! Agricultura de Precisão! Disponível aos agricultores a partir da universidade.

Comentários