A agricultura evoluiu para agronegócio
Sexta, 29 de Julho de 2016

A função da agricultura é produzir alimentos e bens necessários à vida. Independe do tamanho da propriedade, da topografia, dos recursos naturais, da forma de condução das atividades e, enfim, das qualidades que caracterizam a produção e dos agricultores. Todos possuem a mesma função: produzir bens (vegetais ou animais) para satisfazer as necessidades básicas do homem. Portanto, os exageros de extremistas com pouco conhecimento sobre as lidas do “agro” acabam por polemizar posturas e conceitos e, com isso, atrasam conquistas daqueles que escolheram a agricultura como estilo de vida. Abordo este assunto pelo dever de formação e histórico de vida. O conceito de agricultura familiar que tomou força a partir dos anos 90 pelos ambientalistas e movimentos sociais, se efetivando em conquistas de políticas públicas diferenciadas sob o pretexto de 70% dos alimentos serem produzidos por estes, talvez tenha que ser revisto, sobretudo pelo percentual de alimentos anunciado naquela época e repetido até hoje sem estatística atualizada. Graças aos incentivos diferenciados é que muitos dos pequenos agricultores prosperaram, deram uma condição de vida melhor para seus dependentes e alcançaram dignidade. Acho que políticas públicas diferenciadas devem continuar, porém deve continuar a elevação dos critérios de acesso para que os próprios agricultores se sintam motivados a progredirem e não a permanecerem estagnados para eternamente acessarem as benesses públicas que nem sempre emancipam. Por outro lado, a medida que a opinião pública “endeusava” a agricultura familiar também “demonizava” a agricultura extensiva sob o pretexto de ser predadora, usuária de adubos “químicos”, venenos, sementes modificadas geneticamente, maquinário sofisticado e cuja produção se destinava a exportação. Exagero também, pois os mesmos adubos minerais, as mesmas sementes, as mesmas máquinas, os mesmos equipamentos são usados em ambas as condições. Detalhe: nem a grande propriedade nem a pequena usam venenos. Usam sim, quando necessário, produtos fitossanitários, assim como usam medicamentos veterinários, no caso da produção animal. Vem o progresso da engenharia genética e novamente os exageros da opinião pública sobre os “transgênicos” que fazem mal à saúde e que os animais atingem o peso de abate em curtíssimo tempo porque usam hormônios. Afirmações paranoicas daqueles que não conhecem a área e “papagaiam” hipóteses sem comprovações científicas. O certo é que a agricultura deu um salto de qualidade nos últimos 10 anos e será muito diferenciada daqui para a frente, sendo difícil sustentar categorias de produtores como ainda hoje ocorre. Considera-se que no “agro” há pessoas e essas têm necessidades, não importando se são pequenos ou grandes produtores. Simplesmente são pessoas. Possuem necessidades que precisam ser satisfeitas a partir das atividades que exercem, competindo com mercados complexos e cada vez mais qualificados. Portanto, as mudanças que vêm ocorrendo no campo são profundas porque toda a agricultura virou agronegócio. 

Comentários