A complexa agricultura que viabiliza os melhores
Sexta, 05 de Agosto de 2016

A corrida para a formação das lavouras vem se intensificando nas últimas semanas. Muitos aguardaram até o último momento para tomar decisões diante de cenários complexos que se vislumbram: previsões de ocorrência de La Niña, instabilidade dos preços dos produtos, cenário angustiante para a política econômica, inflação, câmbio instável e outras variáveis que fogem da alçada dos agricultores. Uma complexidade de elementos que estão além das porteiras e são decisivos para a viabilidade dos agricultores. São forças que põem em apuros até os agricultores mais bem preparados. Além das forças externas há as variáveis internas da propriedade, cujas decisões também não são de fácil domínio. Cito as tecnologias a serem adotadas como a escolha da cultura, das cultivares, o melhor uso da terra, das máquinas e dos equipamentos e assim por diante. Diferenciais que há algumas décadas não ameaçavam tanto como hoje. Para quem está de fora parece fácil, mas para quem depende do resultado do campo é angustiante tomar decisões. Vejamos como exemplo um produtor que decide produzir culturas de grãos: produzir milho ou soja? Duas culturas com preços satisfatórios no mercado de hoje. Qual se manterá com preço elevado na colheita? Na hipótese vou optar por milho! Haverá estiagem ou não na primavera/verão época do estádio reprodutivo? Quando semear para escapar da possibilidade da falta de umidade? Vou semear agora na primeira quinzena de agosto! Será que haverá geadas tardias que podem comprometer a cultura? Qual hibrido escolher dentre as mais de 500 cultivares recomendadas para o RS? Qual poderá responder melhor as possíveis pragas, doenças e invasoras que podem acometer a cultura? E a nutrição das plantas? Sabe-se que são pelo menos uma dúzia os nutrientes que a cultura mais necessita. Como manejar o solo e os fertilizantes para contemplar as necessidades da cultura? Fazer a análise de solo para ter parâmetros na recomendação. E, que quantia destes nutrientes disponibilizar para as plantas dentro de uma conta de custo/beneficio? Devo fazer contas considerando possíveis cenários econômicos e das variáveis que posso dominar na propriedade. Tarefa onde sempre um percentual de risco deve ser considerado. E o dinheiro para formar a lavoura? Vou acessar o crédito rural oficial e sujeitar-me as regras da política agrícola. Quanto dinheiro acessar? Bom! Depende do enquadramento da minha história produtiva. E assim poderia continuar com este questionamento angustiante. Angustiante como também os comerciantes, os industriais, os profissionais liberais, os profissionais autônomos também possuem. Mas porque os agricultores são diferentes então? Porque sua produção se desenvolve ao ar livre e, portanto, sujeita a falta ou excesso de chuvas, aos vendavais, ao granizo, as pragas, as doenças e, muitas vezes a ocorrência de mais de um fator destes juntos. Além dos fatores políticos, econômicos e mercadológicos externos a propriedade há estes fatores que podem frustrar as produções. E ainda tem a escala de produção. Uma agricultura complexa que viabiliza os melhores. 

Comentários