A AGROPECUÁRIA ESTÁ SE DIRECIONANDO PARA A EFICIÊNCIA
Sexta, 26 de Agosto de 2016

Diante dos cenários mundiais, a produção agrícola e a produção pecuária vêm viabilizando somente os melhores. Além da tecnologia aplicada, as condições ambientais, a gestão, os mercados, as exigências legais e a política cambial estão influenciando na competitividade das atividades. O domínio dos fatores de produção e a atenção às variáveis externas tornam as atividades rurais cada vez mais complexas, exigindo mais conhecimento do agricultor. Embora ainda haja espaço para a expansão da agricultura através do incremento de área é a eficiência produtiva e a verticalização a saída para o homem do campo. A agricultura vem dando mostras que faz a diferença nestes tempos de retração da economia brasileira, mas pode fazer ainda mais para o homem do campo e para o homem da cidade. Como? Aumentando a produtividade. Vejamos! A média da produtividade da soja no Brasil é de aproximadamente 50 sacos/há, enquanto já temos tecnologia para alcançar entre 80 e 100 sacos como já fazem muitos agricultores. O milho vem produzindo ao redor de 88 sacas/ha, enquanto existem produtores alcançando acima de 200 sacos e alguns beirando 250 sc/ha. No ramo do leite, a média nacional gira em torno de 5 litros/vaca/dia, enquanto a média gaúcha é de quase 10 litros/vaca/dia (9,9). Uma produtividade muito acima da brasileira, porém aquém de muitas propriedades que ultrapassam a média de 30 litros/vaca/dia. Quanto à produção de gado de corte estamos mesmo longe do ideal. A média de produção de carne de boi/ha/ano aqui no Brasil mal chega aos 50 kg, enquanto a média dos Estados Unidos é de 125 kg/ha/ano. Considera-se que aqui há inúmeras propriedades que produzem próximo de 2100 kg de carne de boi/ha/ano. Quando se fala em carne, exemplo de eficiência vêm dando a avicultura e a suinocultura através do sistema de integração. Em aviários convencionais, o Brasil vem produzindo ao redor de 150 kg de carne/m²/ano. Já em ambientes mais controlados, está sendo possível a produção de 330 kg/m²/ano. Na suinocultura cito o indicador de produção de leitões/matriz/ano, em que a média nacional é de 25,85 leitões/porca/ano. No entanto, há criadores aqui no sul que produzem em média 31,26 leitões/porca/ano. Poderia continuar falando da produção de hortigranjeiros, de frutas, de madeira, de peixe e tantas outras atividades que na região têm potencial de produção. Como sermos mais eficientes? Estamos no caminho, porém precisamos continuar perseguindo os seguintes fatores: melhoramento genético, eficiência no controle de pragas e doenças, eficiência em todo o processo produtivo, máquinas e equipamentos de melhor qualidade e eficiência, adoção da agricultura de precisão corrigindo as diferenças para termos lavouras homogêneas, aumento e equilíbrio da densidade de plantas por área e, sobretudo, uma gestão eficiente da propriedade. Sobre a verticalização da agricultura, falarei na próxima oportunidade.

Comentários