A Atenção ao Solo
Sexta, 09 de Setembro de 2016

Dois eventos foram desenvolvidos neste ano em Frederico Westphalen sobre temas importantes. O primeiro ocorreu no início de junho – II Workshop de Agricultura de Precisão. Tema – Dados e as Interações Agronômicas: a Tomada de Decisão. O segundo ocorreu na semana passada – XI Reunião Sul Brasileira de Ciência do Solo: Qualidade do Solo & Ambiente de Produção. Tanto um como o outro focaram a complexidade das relações que envolvem o ambiente, notadamente o solo. A região teve a oportunidade de interagir com pesquisadores de referência que, nos diferentes assuntos abordados, deixaram claro que o solo é um ambiente complexo e necessita ser cuidado com carinho para que a humanidade continue se sustentando a partir dele com sustentabilidade. Embora a agricultura de precisão foca todo o ambiente de produção, é no solo que ocorrem as complexas interações ambientais e do trabalho humano, cujo resultado serve às plantas e aos animais. A agricultura de precisão trabalha as diferenças com técnicas que procuram nivelar o ambiente de produção para que as plantas se desenvolvam com uniformidade e, com isso, elevem-se as produções naquela área. O solo é um ambiente tão complexo que é tratado como ciência: ciência do solo. Nele há minerais diversos e complexos, água na forma de soluções, microrganismos (fungos, bactérias, vírus, nematoides, etc…), gases, micro e mesofauna, matéria orgânica, vegetais, entre outros. Salienta-se que ainda sofre das interações externas, tais como a temperatura, o vento, a chuva, a ação dos animais e, sobretudo, a do homem. Realmente, um ambiente complexo que deve ser tratado pela ciência como vem ocorrendo há tempo. Nos dois eventos, os pesquisadores evidenciaram que está havendo avanços para com o cuidado do solo, mas, também, ainda há fragilidades que necessitam urgentemente serem sanadas. Os avanços vêm ocorrendo justamente na tomada de consciência de que o solo é um ambiente complexo e precisa ser tratado, considerando-se esta complexidade. Neste sentido, no mundo inteiro vem-se desenvolvendo pesquisas que, muitas delas, convertem-se em técnicas, entre as quais estão as de manejo e de conservação do solo (plantio direto, cultivo mínimo, cultivo em faixa, pousio, terraceamento, subsolagem, rotação de culturas…), manejo dos nutrientes (adubação verde, aplicação de dejetos animais, estímulo ao desenvolvimento de micorrizas e rizóbios, nutrientes de liberação lenta, etc.), manejo da água (irrigação, práticas mecânicas e técnicas de trabalho do solo para aumentar a infiltração da água da chuva…), implantação de culturas de acordo com a aptidão do solo, equipamentos e máquinas mais adequadas para as operações agrícolas, entre outros. As fragilidades vêm ocorrendo justamente pela não observação do que já se sabe. A negligência das técnicas de trabalho do solo e do ambiente, já de domínio público, fragiliza o solo, esse ambiente precioso que sustenta a humanidade. Vamos dar atenção ao solo. Parabéns aos organizadores dos eventos que oportunizaram conhecimento ampliado.

Comentários