As tecnologias finas a serviço da produção
Sexta, 10 de Fevereiro de 2017

A colheita do milho avança e os resultados da safra são bons. A média da produção está acima de 140 sc/ha, havendo propriedades com lavouras que ultrapassam 200 sc/ha. Grão de excelente qualidade que põe em apuros os armazéns que recebem a produção para secagem, limpeza e armazenagem. As previsões indicam que a safra brasileira de milho será de 29,1 milhões de toneladas e, acima de 60,2 milhões de toneladas na safrinha. Portanto, só de milho serão quase 90 milhões de toneladas. A lavoura de soja, em pleno desenvolvimento, dá mostra que teremos uma grande safra. As previsões indicam que colheremos 105,4 milhões de toneladas de soja com produtividades médias recordes aqui no Sul, entre 54,5 e 56 sc/ha, e no Brasil, 52,2 sc/ha. Além disso, teremos ótima produção de arroz e feijão. A CONAB já prevê uma produção de grãos recorde para o Brasil da ordem de 215 milhões de toneladas. Serão mais de uma tonelada de grãos/habitante. Como podemos produzir tanto em tão pouco tempo? Em análise, o professor Antonio Roque Dechen cita que, apesar de a população rural ter sido gradualmente reduzida (hoje representa14%), foi acompanhada pelo desenvolvimento da ciência, da tecnologia e inovações nos centros de pesquisas, nas universidades e em ambientes científicos ligados às ciências agrárias, ambientais e sociais aplicadas. A tecnologia aplicada na produção faz o Brasil ser destaque no agronegócio. De fato! Depois da apropriação da tecnologia da nutrição das plantas pelo uso dos fertilizantes, do calcário, da tecnologia do melhoramento das plantas pela engenharia genética, da tecnologia do cultivo do solo pelo plantio direto, das tecnologias de defesa das plantas das pragas e das doenças, do domínio da tecnologia da irrigação, do cruzamento de raças selecionando os animais mais produtivos, da tecnologia da nutrição animal entre tantas outras tecnologias, a produção brasileira de alimentos vem dando saltos. O professor Antônio cita que hoje produzimos “sete milhões de toneladas de bananas, um milhão de toneladas de castanhas, amêndoas e nozes, 31 bilhões de litros de etanol, 35,2 bilhões de litros de leite, 4,1 bilhões de dúzias de ovos, 39,3 milhões de suínos, seis bilhões de frangos e tem cerca de 220 milhões de cabeças de gado revelando a efetiva eficiência de produção do setor agrícola, alicerçada na preocupação com a sustentabilidade e qualidade da produção agrícola”.

Estamos em outro tempo! O cérebro se sobrepôs ao braço! A nutrição das plantas se direciona na aplicação de nutrientes com nanotecnologia. Produtos tecnológicos capazes de conduzir o nutriente no tempo certo e no sítio certo de efeito na planta. A nutrição animal se direciona também para a tecnologia a nível de sítio de absorção no intestino com o uso de leveduras, de vitaminas, de íons que melhoram a digestão e a absorção dos nutrientes. Cito estes dois exemplos para mostrar que estamos usando tecnologias finas para a produção. Tecnologias que dão ganhos de produtividade e de qualidade nos alimentos tão necessários para matar a fome da humanidade.

Comentários