O agronegócio que encanta
Sexta, 10 de Março de 2017

Difícil não se encantar com a qualidade das lavouras da região. Vamos para o 5º ano de safra cheia. Clima favorável, tecnologia disponível, crédito à disposição, preços razoáveis, agricultores empenhados, tudo ajuda para que o campo se apresente como um cartão postal. Contam muito também os apoiamentos para a lavoura que se estabeleceram na região: agropecuárias, escritórios de assistência técnica, profissionais dedicados no campo, revendas de máquinas e de equipamentos, agências financeiras dedicadas a disponibilizar crédito, cerealistas, e tantos outros apoios a disposição. Do que depender da base de produção (agricultores e apoiadores) o sucesso está garantido. Chama a atenção a qualidade das lavouras de soja: o estande de plantas, a uniformidade, a sanidade, o controle de invasoras, o vigor e, enfim, o verde intenso do desenvolvimento ou o amarelo da maturação indicam que as lavouras estão excelentes. Assim, o indicativo de qualidade foi observado nas lavouras de milho que foram colhidas e também se observa naquelas que estão por colher. Pelo aspecto da lavoura pode-se ter uma perspectiva da qualidade da produção. O agricultor é experiente nisso! Pela desenvoltura da lavoura já pressente o resultado. Outro indicador de que o campo vai bem é pelas exposições e feiras agropecuárias. Exemplo é a Expodireto, que acontece nesta semana em Não-Me-Toque. Um “prato cheio” para quem busca tecnologia e conforto para a produção no campo. Não tem como não se impressionar com as máquinas, os equipamentos, as tecnologias de insumos, de sementes, de ferramentas de controle, de monitoramento das lavouras, de pesquisa e entre outros temas expostos. Lá se tem uma noção do que significa a força do agronegócio para o país. Também convergem para lá nestes dias as principais autoridades políticas, de pesquisa e de negócios para o campo, uma vez que a Expodireto se constitui numa das principais feiras de negócios do mundo. Delegações de países africanos, europeus, norte americanos e do Mercosul marcam presença. Significa que as tecnologias aqui geradas são referência para o mundo e não só para nós. Quem deseja se atualizar e reciclar os conhecimentos tem um bom motivo para visitar a Expodireto e, assim, certamente são todas as feiras agropecuárias. Importante salientar que, do que depender do campo se tem resposta. O que “patina” é o que depende dos governos e especialmente dos políticos que detém o comando nacional. Vergonhoso os argumentos dos envolvidos da Lava-Jato! Vergonhosa as desculpas dos delatados e pelas atitudes que tomam! Subestimam a inteligência dos brasileiros! O poder lhes cegou de tal forma, que se acham numa redoma intocável. E a máquina governamental parece estar a serviço de abafar as falcatruas. Que vergonha! Que tal se uma parte dos recursos desviados e da energia despendida para se safar fosse direcionada para a infraestrutura de apoio ao agronegócio, tais como estradas, portos, armazéns, energia, mais crédito ou subsídios? Quanto mais fortes seríamos e quanto mais conforto para a produção! Mesmo assim, o agronegócio nos encanta!

Comentários