Feiras e exposições: oportunidade para reciclagem
Sexta, 24 de Janeiro de 2014

A partir deste mês iniciam as feiras e exposições agropecuárias pela região. São oportunidades para a divulgação das atividades econômicas praticadas nos municípios e também oportunidade para a exposição de novas tecnologias. As comissões organizadoras e as administrações municipais se esmeram em oferecer conforto, segurança e, sobretudo convidar os empresários para exporem o que têm de melhor. São oportunidades para todos: para os empresários que precisam divulgar e comercializar seus produtos, tecnologias ou serviços e, para os visitantes que tem a chance de acessar tecnologias, produtos e serviços inovadores. São oportunidades excelentes para o desenvolvimento, pois há a apresentação do melhor: melhores máquinas e equipamentos, melhores exemplares das raças de animais que aqui são adotadas, melhores insumos para a produção animal e para a produção vegetal, melhores métodos e serviços para a adoção nas propriedades. Logo, uma simples visita aos stands dos expositores já é uma oportunidade para acessar conhecimento e organizar-se para adotar novas posturas nas atividades que se exerce. É esse o fundamento das feiras e exposições. Claro que nem sempre o objetivo é atingido imediatamente. Mas as “sementes” são lançadas e, na organização do tempo e dos recursos de cada um os arranjos são construídos e praticados dentro das possibilidades. Importante salientar que é também uma oportunidade para os agentes públicos imprimirem ritmos e estímulos à economia que se deseja. De acordo com o foco dado é o estímulo que os visitantes irão acessar. Assim é uma oportunidade excelente para apoiar o aperfeiçoamento ou as mudanças na economia pela reciclagem da matriz cultural ou de conhecimento que se tem. O certo é que sempre há um jeito novo de fazer o que se faz diariamente. Muito do que aprendemos ocorre pelo estímulo visual. Nas feiras e exposições além do estímulo visual temos a oportunidade de interagir com os expositores para aprofundarmos o conhecimento sobre o que se expõe. Do que vale para um agricultor conhecer uma vaca que produz mais de 80 litros/dia na exposição se a da sua propriedade produz médias ao redor de 20 litros diários? Conhecer um híbrido de milho com potencial de 250 sacos/ha se a produtividade que tenho é de 120 sc/ha? Pois é! Mas se não conhecemos os potenciais de até onde podem chegar os resultados das atividades que adotamos não saberemos se o que atingimos é razoável, satisfatório ou excelente. Se conheço o melhor dentro da atividade posso comparar o que tenho e melhorar. As feiras e exposições ajudam a assistência técnica a disseminar conhecimento e formar opinião entre os agentes do meio rural. Portanto, reservemos tempo para prestigiar estes eventos.

Comentários