Gargalos da Agricultura
Sexta, 04 de Abril de 2014

Lembro que há pouco tempo nas conversas com os agricultores havia queixas em relação à falta de preços justos dos produtos, a falta de incentivos para a produção e principalmente uma política definida para a agricultura. Lembro que os sindicatos mobilizavam a classe para as manifestações públicas, reivindicando os devidos apoios do governo federal porque os agricultores estavam em desvantagem. Acho que hoje o apoio governamental melhorou muito, mas não ainda o suficiente para resolver os gargalos que travam o desenvolvimento rural. 

O bom momento da agricultura se revela na facilidade de mercado para os produtos agrícolas (leite, grãos, carnes entre outros), facilidade de crédito para custeio (produção animal e vegetal) e para investimentos em máquinas e equipamentos. Facilidade há também para acesso às informações tecnológicas na área da produção através de cursos, palestras, dias de campo, programas de TV, rádio e internet. Melhorou o contato direto com os técnicos e profissionais da área rural pelo aumento do número de universidades na região, pelos órgãos de assistência técnica pública e privada e de consultorias disponível nos municípios. Contudo, ainda falta agilidade e mais apoio governamental para equacionar problemas estruturais tais como a falta de energia elétrica de qualidade, sinal de telefone, armazenagem, estradas intermunicipais entre outros. 

Acho que esforço deve ser feito ainda para oferecer qualificação profissional na área da gestão rural e na área sociológica. Na área de gestão porque é a base para a tomada de decisão nos investimentos e na utilização dos recursos materiais e humanos para os empreendimentos ou atividades de renda. Na área sociológica porque as relações humanas no campo estão mudando, fruto da diminuição da população, do aumento da masculinização rural, da senilidade, da diminuição da força de trabalho, resumindo: da forte influência da globalização. 

A galopante dinamicidade das relações econômicas e sociais que se estabelecem mundo afora, afetam diretamente o indivíduo e a família se fazendo sentir, mais fortemente, nas do meio rural porque ali tradicionalmente se conservavam como baluartes dos valores humanos e de sociedade. Muitas propriedades rurais estão fragilizadas no desenvolvimento porque têm dificuldade de gestão ou porque há conflito de interesses da porteira para dentro. Logo, é hora de investir esforço e traçar estratégias de apoio para auxiliar a população rural na tomada de decisão mais adequada sobre os empreendimentos e atividades, bem como oferecer oportunidade para compreender e fazer frente as relações sociológicas modernas. Por outro lado, intensificar a articulação para que os governos cumpram o seu papel de disponibilizar as estruturas que servem de apoio para o setor produtivo e bem-estar rural.

Comentários