Plano Agrícola e Pecuário 2014/2015
Sexta, 23 de Maio de 2014

Nesta semana o Governo Federal lançou o Plano Agrícola e Pecuário 2014/2015. O volume de recursos disponibilizados e os eixos priorizados pelo governo colaboram para que a próxima safra seja recorde novamente. São mais de 156 bilhões de reais disponibilizados, priorizando os médios produtores. O governo priorizou a inovação tecnológica, as florestas comerciais, a pecuária de corte e ajustou o seguro rural. O volume de recursos é quase 15% superior o Plano Agrícola anterior. Do total de recursos, R$ 112 bilhões serão para custeio e comercialização e R$ 41 bilhões para investimentos. Ainda, o governo priorizou os médios produtores com a disponibilização de quase 27% mais recursos do que a safra passada.

Destaco a atenção para o incentivo à inovação tecnológica onde há a promessa de que será aperfeiçoado o apoio à avicultura, à suinocultura, à agricultura de precisão, aos hortigranjeiros pelo cultivo protegido e à pecuária de leite. A linha de apoio por meio do Programa Inovagro é da ordem de R$ 1,7 bilhão em recursos (alta de 70% em relação a safra anterior), sendo de até R$ 1 milhão por produtor para ser pago em até 10 anos, sendo três anos de carência.

O Programa de financiamento de máquinas agrícolas novas (Moderfrota) teve os juros reduzidos de 5,5% para 4,5% e, além disso, o Moderinfra aumentou os limites de crédito para os produtores individuais para R$ 2 milhões e coletivos para R$ 6 milhões. O Moderinfra ainda prevê o acesso dos produtores rurais para projetos de infraestrutura elétrica, para a reservação de água e para sistemas de irrigação.

A região do Médio Alto Uruguai se caracteriza prioritariamente pela agricultura familiar que tem políticas de crédito pelo Pronaf. No entanto, há uma parcela grande de agricultores que nunca se enquadraram no Pronaf porque estavam em uma condição de renda superior e há os que estavam e prosperaram vindo também a se enquadrarem em uma faixa superior. Portanto, considero que este Plano Agrícola e Pecuário vem a contribuir grandemente para os agricultores que possuem renda anual acima de R$ 360.000,00 que, de um modo geral, não se enquadram no Pronaf e sim em Demais produtores. Valorizar os agricultores que acessaram políticas públicas de incentivo à produção agropecuária, como é o caso do Pronaf, e hoje estão em outro patamar de enquadramento, fruto do trabalho e do esforço, é necessário.

Muito me agradou este Plano Agrícola que, dentre as prioridades, vem incentivar a inovação tecnológica porque diante das dificuldades da falta de mão de obra no meio rural, a tecnologia vem fazendo a diferença para elevar os padrões de vida do agricultor. A agricultura vive um bom momento e tudo indica que continuará impulsionando a economia brasileira nos próximos anos. Portanto, os envolvidos no agronegócio que permanecerem atentos e souberem aproveitar as oportunidades continuarão a prosperar.

Comentários