Qualificação gerencial fazendo a diferença
Sexta, 27 de Junho de 2014

Em qualquer empreendimento empresarial é prática os registros e os apontamentos de tudo o que acontece na empresa. Diz-se que a empresa que tem controles eficientes sabe para onde vai e prospera. Além da contabilidade, a formação dos preços dos produtos e a atenção no mercado são alguns dos fatores que dão aos dirigentes elementos para uma boa administração do empreendimento.

Pois bem! Nas médias e grandes propriedades é prática a condução das atividades de forma empresarial. Até porque na maioria delas há empregados, os volumes de insumos que são usados nas lavouras ou na criação animal são elevados, há uma diversidade e uma quantidade de máquinas e de equipamentos também expressivas. As áreas de terra são mapeadas e trabalhadas em talhões ou em glebas, havendo assim, um melhor controle sobre a produção. Nas pequenas propriedades familiares não era comum esta prática. Os registros eram feitos basicamente na memória dos proprietários. O marido memorizava minimamente a quantidade de insumos usados nas lavouras e a mulher memorizava um pouco do que acontecia com os animais da propriedade como, por exemplo, as parições, os períodos de cio, a produção leiteira e assim por diante. Não raramente usava-se a própria parede do galpão para sinalizar com carvão algum evento importante da criação ou das plantações. Em algumas propriedades ainda há estas marcas nas paredes do galpão. Que, aliás, já é uma forma de registro e de controle, embora muito aquém do necessário.

A situação das pequenas propriedades mudou e na maioria para melhor. Embora com menos gente no interior há melhores controles e a prática dos registros já são usadas amplamente. Com satisfação venho encontrando essa realidade em propriedades rurais da região. Fato que me chamou a atenção foi no interior do município de Caiçara, onde o filho auxilia o pai na gerência da propriedade e, este tem no computador toda a movimentação financeira bem como dos insumos usados, o controle leiteiro, os custos das máquinas, dos equipamentos e a rentabilidade de cada atividade. Bastaram algumas perguntas para o rapaz puxar do computador as respostas. A atitude mostra que é possível modernizar as propriedades familiares também na contabilidade e nos registros, embora os volumes de negócios sejam menores que as grandes propriedades ou que as empresas urbanas.

Esta realidade está ocorrendo nas propriedades que possuem sucessão e são “tocadas” por jovens. Considero que já se colhem frutos da qualificação oferecida na região pelas universidades, Emater, Senar, Sebrae, Prefeituras, STRs e, por empresas do ramo do agronegócio que ajudam a formar opinião dos agricultores e fazem um pós-venda eficiente. A globalização chegou para todos os negócios e, principalmente para os ligados as atividades rurais. Então, os ganhos passam a ser cada vez mais apertados e lucram mais aqueles proprietários que melhor controlam suas atividades. Qualificação gerencial faz a diferença.

Comentários