Diversificação ou Especialização
Sexta, 08 de Agosto de 2014

Houve uma época que se falava que o agricultor deveria diversificar para garantir rentabilidade. Hoje já não vale mais essa premissa. A economia globalizada está exigindo atenção a vários fatores, entre os quais a escala de produção. Os ganhos são tão apertados em cada unidade produzida que é necessária certa quantidade de produto para que seja compensador. Significa que em pequena escala podemos produzir muito bem, mas a remuneração de cada unidade produzida envulta em pouco dinheiro que poderá não ser motivador.

A diversidade de produção deverá existir nas propriedades para a subsistência da família. A diversidade de animais criados e de culturas chamadas “miudezas” garante o abastecimento da família fazendo sobrar mais dinheiro das atividades principais. Assim, ter uma boa horta, uma área reservada para o plantio de culturas como a mandioca, a batata-doce, a pipoca e outros vegetais são necessários. Igualmente a criação de animais para carne, para ovos e outros produtos de consumo frequente são fundamentais. Quanto menos gastar para adquirir aquilo que poderia ser produzido em casa, mais sobrará das atividades principais para fazer investimentos.

Falo isso agora porque estamos na época de iniciar a implantação das culturas de primavera/verão. Ainda há tempo para decisões. A região tem aptidão para a produção de uma diversidade de culturas: milho, soja, fumo, feijão, arroz de sequeiro, frutas (citros, uva, melancia, pêssego …), hortaliças (alface, couve, cenoura, beterraba…), mandioca, batata-doce, cebola, batatinha entre outras. Quanto a criação animal podemos criar aves de corte, aves de postura, suínos, gado de leite, gado de corte, ovinos, caprinos, peixes e tantos outros. São tantas as possibilidades que podemos causar inveja para outras regiões do Estado ou do país. O lado bom é que o clima, o solo e a tradição cultural nos dão essas possibilidades. Também, na região há empresas constituídas que dão suporte para a produção e empresas que absorvem a produção. Não precisamos ir muito longe para formarmos opinião.

Diante de tantas possibilidades é necessário eleger algumas atividades que devemos empreender como principais para ingresso de receita. Dependendo da situação uma única atividade pode satisfazer a necessidade da propriedade. O custo dos adubos, sementes, defensivos, máquinas entre outros insumos usados na produção, cada vez se elevam mais. Do mesmo modo a produção animal (suínos, aves, leite, gado de corte, peixes, ovos), tem custo de produção elevada pela soma das estruturas, da mão de obra e dos insumos. Os preços de mercado da produção obtida na propriedade já não são mais a nível local e sim, a nível mundial. Portanto, para a subsistência a diversidade, para a comercialização a especialização.

Comentários