As ciências rurais e os jovens
Sexta, 29 de Novembro de 2013

Estamos vivenciando, novamente, a temporada dos vestibulares e provas para o ingresso no ensino universitário. É uma época de habilitação às escolhas feitas ou, simplesmente, uma experiência para auxiliar no amadurecimento e na definição da área a ser seguida.

Para muitos pais, a angústia vem pela expectativa do filho acessar logo o curso pretendido; para outros que têm filhos indecisos, pelo acerto da área profissional. É natural as perguntas dos filhos: este curso vai me dar prestígio? Vai dar dinheiro? Terei trabalho nesta área?

Época que ainda é de decisões e precisam de apoio para a formação de opinião em direção da escolha da profissão. Posso afirmar que todas as profissões são boas. Não há área de atividade ruim. O que há, são pessoas em áreas profissionais não alinhadas ao seu perfil. Aí a atividade profissional, que deveria ser um prazer, se torna uma tortura. Assim, podem surgir os profissionais com pouca competência ou frustrados. 

Gostaria de estimular os pais e os jovens que têm perfil para o setor agropecuário para acessar os cursos universitários nesta área. Há muitas oportunidades para profissional na área da agricultura e da pecuária ou, como designado, no agronegócio e para a agricultura familiar. As oportunidades se evidenciam, principalmente, aqui no Médio Alto Uruguai do Rio Grande do Sul.

Oportunidades para trabalhos na área da fruticultura, da olericultura, das plantas de lavoura, das atividades florestais, da piscicultura, da irrigação, da atividade leiteira, da suinocultura, da avicultura, da agroindústria, da gestão, de mercados, da tecnologia da informação, na área ambiental e tantas outras. Para suprir essas demandas há necessidade de mais profissionais com formação na Engenharia Florestal, na Agronomia, na Engenharia Agrícola, na Engenharia de Alimentos, na Administração, no Comércio Exterior, na Medicina Veterinária, na Zootecnia, nas Ciências Biológicas, na Engenharia Ambiental, Técnicos Agrícolas, Técnicos Agropecuários, Tecnólogos e assim por diante.

Aliás, para o agronegócio, ou como queiram, para o setor rural, há necessidade de profissionais de todas as áreas com perfil para trabalhar direcionado nas especificidades deste setor. Vamos olhar para o perfil do trabalho: trabalho de orientação às pessoas que tem atividade com vegetais, com animais, com peixes, com água, com máquinas e equipamentos agrícolas, com irrigação, com a transformação de produtos, com armazenagem, com solo, com sementes e mudas, com insumos agrícolas (fertilizantes, produtos fitossanitários). Trabalho por vezes ao ar livre, por isso que não exigente em rotinas, no entanto, exposto ao sol, a poeira, ao barro, a chuva, ao frio, ao vento e tudo aquilo que é próprio do mundo rural. Trabalhos que exigem criatividade e arte para resolver situações próprias das surpresas da natureza. Da complexidade das relações homem x natureza.

O certo é que há muito espaço para os jovens não só prestarem serviços nestes setores como também empreenderem na área rural. Portanto, vamos pensar bem para termos uma profissão e ocupações que nos realizem e, para os que gostam, há grandes oportunidades no setor agropecuário.

Comentários