Ligue seus faróis!
Sexta, 05 de Dezembro de 2014

Conheço pessoas que são verdadeiros camaleões, possuem uma proeza fantástica de estar de um jeito e mostrarem estar de outro. Saem de uma discussão em uma sala e conseguem como mágica externar um sorriso “colgate” segundos depois, para um outro grupo.

Não levar os problemas de casa para o trabalho e vice-versa é importante. Ter este verdadeiro dom é magnifico, eis que não deixamos marcas desagradáveis em pessoas ou colegas que nada tem a ver com nossos problemas.

Mas o que me refiro é demonstrar uma coisa que não existe. Sorrir para ludibriar alguém, para que este não note sua tristeza interior, seu descontentamento, sua dor. Como é difícil sorrir quando não queremos sorrir. Como é difícil não chorar, quando não queremos chorar.

Que inveja das crianças que choram quando querem, sorriem quando bem entendem. Não se preocupam com o local, com quem está em sua volta. Apenas choram. Apenas brilham seus olhos. Apenas sorriem.

E os olhos? Bem, os olhos são as verdadeiras armadilhas. Eles nos entregam. Mostram a dor da alma, mesmo com sorriso. Exibem nossa felicidade, mesmo com nossa descrição. Os olhos são nossos faróis. Se estiverem desregulados, temos problemas. Se for apenas trocar um fusível ou uma lâmpada, resolvemos com o tempo, com um abraço, com novas funções, com novos desafios.

Mas se for uma bateria, fica um pouco mais difícil, demora mais. Precisamos enfrentar com mais serenidade, para poder fazer nossos olhos brilharem de novo. O problema é quando acontece um acidente. Bem, daí sua alma poderá ter sido arrancada. E sem alma, nada funciona. Gente! Então demora. Talvez perca total. E seus olhos não verão mais as cores, a vida, as pessoas. Você precisará fazer realmente uma força sobrenatural para recuperar seu carro, para depois ligar a luz. 

E temos força para conseguir. Uns demoram mais, outros demoram menos. Mas não podemos desistir. Não se liga os faróis dos seus olhos, sem alimentar sua alma. Senão consertares sua ferida, não brilhará seus os olhos novamente. E com faróis baixos não sorrirás. E se não sorrires por dentro, não adianta arrumar por fora, pois faróis baixos não iluminam seus desafios diários. 

A questão é que muitas vezes não achamos as lâmpadas e nem as baterias. Mas mesmo assim queremos viajar à noite. E a noite sem luz, é um corpo sem alma. Sem coração.

Conserte sua ferida. Arrume seu carro. Depois verás que seus olhos brilharão automaticamente. E assim vai. Somos um eterno aprendiz. Passamos a vida lapidando a pedra bruta, e ela é imensa. Demora. Mas é um constante aprendizado. Ligue seus faróis.

Até semana que vem!

Comentários