Os Bárbaros!
Sexta, 19 de Junho de 2015

Acompanhei de longe a ocorrência policial ocorrida em Palmeira das Missões, no último dia 30 de maio de 2015. Ocorrência que vitimou duas pessoas por disparo de arma de fogo pelos policiais militares.

Meu Deus!  Não pode! Se a polícia matou, foi execução! Se bandido mata polícia é o quê? O pior ainda é que vi uma reportagem de um representante do povo (vereador), dizendo que: “pelo que acompanhamos até aqui, trata-se de uma barbárie”.

Você sabe o que é uma barbárie? 

É totalmente o inverso de Civilização. Segundo o dicionário, civilização é uma palavra imbuída de qualidades, isto é, inclui os bem educados, os que vivem em sociedade, em suma, os que se adequam a padrões pré-estabelecidos. 

Em contraposição, Barbárie é o estado em que vivem os Bárbaros e estes são aqueles sem cultura, sem civilização, violentos, cruéis, em suma, os que não se adequam a padrões pré-estabelecidos.

Então, segundo a nobre camarista, esta ocorrência foi atendida por homens sem cultura e cruéis. Tipo os confrontos do filme “O Coração Valente” e o “Gladiador”. Que pena que uma parcela da sociedade de Palmeira das Missões acredite nisso. Pré-julgam homens que sacrificam suas vidas para defender uma sociedade, muitas vezes necessitada de mecanismos sociais.

Por que duvidam das integridades morais e éticas dos policiais? Por que os pré-julgam? Foram recolhidas armas e projéteis que estavam com as vítimas, que comprovam que dispararam contra os policiais. Mas aí sempre parece alguém e diz que foi enxertado. Os policiais possuem uma conduta ilibada e as vítimas uma extensa ficha criminal. E de cara, os policiais é que são bárbaros. 

A ocorrência será investigada tanto pela Polícia Militar, quanto pela Polícia Civil. Os dois inquéritos não serão arquivados por livre arbítrio dos seus encarregados. Nenhum inquérito pode ser arquivado. Os autos vão ser encaminhados para o Ministério Público, que é o dono da Ação Penal. 

Se o Ministério Público entender que há suspeita de alguma irregularidade, os policiais serão denunciados e após, condenados pela justiça, caso seja provado que cometeram algum crime. Bem, aí sim, caso seja uma conduta criminosa, devemos ser os primeiros a condenar tal atitude, pois criminoso é tudo igual, seja polícia ou não.

Mas não chamem os policiais de bárbaros. Não façam isso, sem antes restar provado, sem antes dar o direito de defesa e contraditório. 

A polícia protege. Mas a polícia mata também ser for preciso quando estiver presente a excludentes de criminalidade, como: Legítima Defesa, Estrito Cumprimento do dever legal, Exercício regular do direito e Estado de Necessidade. 

Então quando se fala em igualdade de Direitos, se fala em verificar de maneira imparcial o ocorrido e não pré-julgar e chamar os policiais de Bárbaros.

Sejamos justos. 

Até semana que vem!

Comentários