Ônibus espacial!
Sexta, 11 de Dezembro de 2015

Tenho uma sugestão para que possamos mudar o mundo. Talvez um pouco radical. Mas acredito e não vejo outra forma para que possamos ter um futuro diferente. Pensei em usar um ônibus espacial e colocar todas as pessoas acima de 10 anos como passageiros. Uma viagem para um planeta distante, sem possibilidade de volta.

Imaginem que não teremos mais traições. Imaginem que não teremos mais guerra. Imaginem que não teremos mais corrupção. Nem democracia, nem ditadura. Nada de preconceitos. Nada de exemplos negativos. Será que mudaria o mundo? Chegaríamos nesse patamar novamente? Pelo menos acredito que vai demorar.

Ter uma ideia dessa e até macabro. Mas que vergonha desse nosso mundo. Que tristeza que esta nosso país. Acusações de um lado para o outro. Maracutaias. Conchavos. Apoio de um lado, ataque de outro, como se fosse uma novela das oito.

Quem desviou mais. Quem desviou menos. Todo mundo defende e ataca por que tem algum interesse. Mas somos nós que elegemos nossos representantes para o Legislativo Federal.

Você lembra em quem votou para Deputado Federal na eleição de 2010? Segundo pesquisas, 44% dos eleitores não lembram em quem votaram para deputado federal. Ou seja, dos quase sete milhões de eleitores que compareceram às urnas no Rio Grande do Sul em 2010 (6.902.902 eleitores), em torno de 3 milhões não sabiam ano passado em quem votaram para Deputado Federal em 2010.

Vocês não acham que já começa por aí? Votamos por votar. Votamos em agradecimento. Votamos porque temos chance de ganhar algo. E assim vai.

A Constituição diz que o poder emana do povo. Verdade. Mas através de seus representantes.

Estou triste. Não estou preocupado se a culpa é da Presidente ou do Congresso. Ou de quem fez e faz parte da maior corrupção da história que envolveu a Petrobras. Estou triste porque a democracia está manchada.

A democracia parece estar dando sinais de cansaço.

Corrupções. Maus exemplos de nós pais. Condutores de veículos agressivos e raivosos.
Brigamos por nada. Matamos por nada.

Esses dias minha filha de cinco anos disse dentro do carro: “esse carro da frente não se decide né pai, se pega a pista da esquerda ou da direita”. Meu Deus. Ela houve eu falar isso. Nossos exemplos.

Chamem o ônibus espacial.

Até semana que vem!

Comentários