A maldição do Barril!
Sexta, 22 de Janeiro de 2016

Nossa cidade era chamada antigamente de Distrito do Barril. No inicio do século passado, em razão da escassez de água, fora colocado um barril para saciar a sede dos que ali moravam e passavam.

Mas eu acho que tinha algo naquela água. Acho que em algum momento foi acrescida na fonte uma substância que seus efeitos colaterais seriam a de você se apaixonar por esta terra. Só pode. Não tem outra explicação. Quem é de fora e bebe a água do Barril se encanta.

Confesso que adoro Porto Alegre. Seus encantos. Seu movimento. “...Porto Alegre é demais...” (música linda). Até o trânsito intenso tem suas vantagens, pois usamos esses momentos para “parar” e ouvir uma boa música. Gosto das opções que temos, dos passeios com minha família. Gosto de simplesmente estar aqui. É o centro do Estado. Aqui as coisas se decidem.

Minhas filhas adoram. Tem cinema. Tem show. Tem Praia perto. Tem furdunço. Confesso que fiquei impressionado com a qualidade do aprendizado para elas. Sem falar nas opções para o futuro.

Estar perto de meus pais e irmãos também está sendo espetacular. Fiquei durante vinte anos longe e está sendo maravilhoso poder tomar um café com meus pais quando quiser.

Mas bebi a água do Barril. E, portanto, estamos contaminados com a maldição. A maldição do Barril. Nada parece ser maior. Nada parece ser igual. E os sintomas são cruéis. Abstinência do ar frederiquense. Abstinência dessa terra abençoada.

E a cura? Só voltando. Não existe outra maneira. Não existe outra maneira de amenizar esse sentimento. Só voltando. Então vamos curar essa doença. Então vamos nos livrar dessa maldição.

Não tem shopping, não tem cinema, não tem trânsito intenso, mas tem rótula (kkk). Não tem praia perto... Mas tem o melhor de tudo: a água do Barril. A maldição do Barril.

E quem mora, ama; quem ama, mora. Quem sente, sabe; quem sabe, sente... Quem fica vive, quem vive, fica... Amo demais essa cidade!!!

Saio de férias merecidas. Volto em 30 dias. Até mais!

Comentários