A alegria do encontro
Sexta, 11 de Setembro de 2015

Nesta coluna vou discorrer um pouco sobre algo muito importante que, no meu entender, infelizmente é perdido e aos poucos deixamos de lado: reunir a família e celebrar a vida. Gosto muito de viajar, sempre que podemos e conseguimos conciliar a agenda, realizamos viagens. Nesse final de semana realizamos uma viagem em família para visitar parentes em Ivorá, terra natal dos meus pais. Ao pensar no tema sobre o qual poderia escrever a minha coluna semanal, resolvi compartilhar com vocês um pouco da viagem, mais especificamente sobre as reflexões que foram possíveis fazer e, quem sabe, instigar outras pessoas a também fazer as experiências maravilhosas que vivenciamos nesses dias de passeio, alegrias e emoções. Escolhi o título da minha coluna pelo fato de entender que é o que realmente traduz o momento do encontro, do abraço, de conhecer parentes e, agora, amigos que até então não conhecia. Acredito que muitos de vocês também possuem familiares, principalmente os parentes de segundo e terceiro grau, que não conhecem. Fazer visitas e conhecer novas pessoas sempre é muito bom, ainda mais quando são pessoas que possuem ligação genética e afetiva conosco. Quantos parentes você não conhece pessoalmente? Quantos amigos você não costuma visitar com frequência? Já pensou em como é importante fazermos visitas e termos contato físico e afetivo com as pessoas? De reunir a família e celebrar a vida? De celebrar o encontro? Vivemos em um século marcado pelo corre-corre diário e de pessoas com alto grau de estresse e depressão. Será que tudo isso não é pelo fato de estarmos nos esquecendo de conviver com familiares, amigos e nos isolando dentro de nós mesmos? Todos nós fomos criados para viver em sociedade e em comunidade, mas nos dias de hoje estamos nos isolando das pessoas que mais nos amam, que são nossos familiares e amigos. É muito bom poder visitar familiares e sentir a energia positiva e a alegria que sentem em nos receber e em confraternizarmos em família. É uma terapia maravilhosa, que custa pouco e nos torna mais humanos, felizes e realizados. Se todos nós tirarmos mais tempo para viver em família, viajar, conhecer lugares, pessoas e fazer novos amigos, com certeza o mundo tornar-se-á mais humano, fraterno e a depressão não será mais a doença do século. Cada um de nós precisa fazer a sua parte, não apenas nos queixarmos da vida e de todos. Precisamos de mais pessoas com atitudes positivas, humanas e fraternas para deixarmos o mundo ao nosso redor mais alegre e feliz e podermos celebrar, a cada novo dia, a alegria do encontro e de convivermos em família, entre amigos e celebrando o dom da vida e de estarmos vivos.

Sucesso a todos e até semana que vem. 

Comentários