Você se contrataria?
Sexta, 11 de Março de 2016

Nesta coluna, vou publicar novamente uma coluna que escrevi em meados de 2012, mas que está mais atual do que nunca, principalmente nessas épocas de falta de vagas de emprego. Você já se fez essa pergunta? Resolvi escrever sobre este tema por muitas vezes ouvir as pessoas reclamarem daquele chefe que “só pega no meu pé”, daquela empresa que “está sugando o meu sangue” e coisas do tipo, que costumeiramente cercam as conversas nos intervalos e nas saídas das empresas entre os funcionários dos diferentes setores. Deparamo-nos diariamente com inúmeras pessoas reclamando do seu trabalho, do seu salário, que não é valorizado, que o chefe pega no pé, que vai ter que ficar até mais tarde e outras tantas reclamações que norteiam a vida de tantas pessoas. Você já parou para pensar em como você está realizando o seu trabalho? Ele está sendo feito da melhor maneira possível? Estou dando o máximo de mim nesta empresa? Estou contribuindo o suficiente para pagar o meu salário? Se eu fosse proprietário de uma empresa, eu me contrataria? Gostaria de ter na minha empresa, profissionais como eu trabalhando nela? Essas perguntas muitas vezes a gente não se faz, apenas reclamamos de tudo e de todos, evidentemente por ser mais simples cômodo e confortável. É natural do ser humano, reclamar ao invés de tentar saber o porquê que não estou sendo valorizado e melhor recompensado internamente. Precisamos trabalhar da melhor maneira possível todos os dias, independentemente se estamos recebendo o reconhecimento devido pelas nossas atividades dentro da organização. Pois se não estamos sendo valorizados hoje, não importa, o importante é saber que o mercado está nos vendo diariamente, independente se estamos felizes ou não trabalhando onde estamos. É comum pessoas serem convidadas a trabalhar em outro estabelecimento no seu próprio local de trabalho, pela forma como atendem, se comportam e são prestativas e comprometidas com todas as pessoas que ligam ou veem até o estabelecimento onde trabalhamos. Como já escrevi aqui neste espaço, estamos na vitrine 24 horas por dia e podem ter certeza, sempre alguém está nos vendo, de forma positiva ou negativa, conforme o nosso comportamento e atitude. Estamos nos encaminhando para mais um final de ano, e muitos de nós fazemos um planejamento para o próximo ano, tanto pessoal quanto profissional, que possamos ao realizarmos o planejamento profissional, fazermos a nós mesmos a pergunta. Eu me contrataria? Por quê? O que está faltando no meu currículo que eu quero implementar? Essas respostas só quem pode dar é cada um de nós para nós mesmos, pois está em nossas mãos realizarmos ou implementarmos algo no nosso currículo. Se eu não gostaria de ter um profissional como eu trabalhando na minha empresa, está mais do que na hora de fazermos urgentemente uma mudança de plano e darmos um upgrade na minha carreira profissional e se a resposta for sim, continuemos realizando as nossas atividades da melhor maneira possível e busquemos nosso lugar ao sol, como diz o ditado, para sermos valorizados e recompensados como gostaríamos de ser. Pois está em nossas mãos o rumo da nossa atividade profissional, nós somos os marinheiros da nossa realização profissional e vai depender única e exclusivamente de nós posicionarmos o navio na melhor parte do oceano para navegarmos com tranquilidade e sem muitos contratempos pelo caminho. Pensemos nisso e busquemos a nossa realização profissional. Boa semana a todos. 

Comentários