Quero ser... referência!
Sexta, 08 de Abril de 2016

Nesta coluna vou me utilizar de um artigo publicado no site administradores, escrito por João Kepler, o qual nos traz uma reflexão de como podemos ser e nos tornar referência no nosso trabalho e nas nossas atividades. Ele inicia dizendo que: “No mundo de hoje somos bombardeados de informações que chegam a todo o momento e em diferentes formatos. São profissionais de diversas áreas que desenvolvem seus respectivos trabalhos e projetos com um único objetivo: serem reconhecidos no mercado (ou pelo menos pelo seu público alvo!). É cada vez mais comum ver pessoas que estão tentando fazer do seu dia a dia fonte de inspiração para outras tantas, mas essa tarefa, além de difícil, requer muito conhecimento e domínio da área de atuação e principalmente muito foco, disciplina e dedicação, preço que nem todo mundo está disposto a pagar. Para se tornar uma referência, então, o caminho é ainda mais longo e precisa ser trilhado com bases sólidas e trabalho progressivo consistente. Chegar no “nível” de ser considerado pelos outros o “maior” ou “melhor” não acontece do dia para a noite, tampouco é algo que ocorra sem fundamento, principalmente quando se trata do mercado, que é implacável e nem sempre te dará a chance de errar e consertar em seguida. Ao longo dos anos já vi muita gente “se achar” o tal mas, sem o respaldo de quem realmente precisava ter, não foi muito longe, porque a empolgação acaba e a rotina de se autoafirmar o tempo todo e de se vangloriar pelo que você não é ou não fez, sem dúvida, não é uma das tarefas mais satisfatórias.

Note que a referência acontece pelo reconhecimento dos clientes ou das pessoas que você impacta diretamente. São eles que indicam você e sua empresa e dão o aval, se tiverem suas expectativas superadas. Sim, superadas! Porque entregar o que todo mundo entrega não lhe dá nem a chance de tentar ganhar mais espaço no mercado.

Surpreender é entregar aquilo a que você se dedica a fazer diariamente, mas que, na percepção de quem recebe, tem um significado diferente. Precisam estar embutidas ali a sua dedicação e a sua vontade de fazer mais e de resolver determinado problema. Só está apto a surpreender quem pensa e age de forma diferente do convencional. Pense assim: o que todo mundo faz ou faria nesta situação? Se a partir desta resposta você estiver disposto a buscar novos e diferentes caminhos e possibilidades, já será sem dúvida um começo bem interessante. O empenho em fazer o melhor, de forma diferente e comprometida, precisa estar diretamente ligado ao resultado do produto/serviço final. Seu esforço, as noites perdidas de sono, ou as ideias anotadas naquele guardanapo na hora do almoço precisam estar “embalados para entrega” no momento em que você entregar o que pretende ao seu cliente/público. Não é uma tarefa fácil, justamente por isso poucos são aqueles que realmente se tornam referências em seus segmentos. Se esse realmente for seu objetivo, o primeiro passo é estar ciente de que sua caminhada será longa e a recompensa nem sempre virá na velocidade esperada. Referências são construídas, lapidadas e, principalmente, preparadas para assumir tal posição.” Pense nisso e reflita se você é, quer ser e pretende transformar-se em referência. Planeje e corra atrás dos resultados. Sucesso a todos e até semana que vem.

Comentários